Ana Tarouco, ex-delegada da 12ª Delegacia Regional de Polícia, avalia sua passagem por Livramento

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após sua saída do comando regional da Polícia Civil, Ana ainda destaca quais os planos futuros

Desde o dia 19, quando anunciou em entrevista coletiva que deixaria o comando da 12ª Delegacia Regional de Polícia Civil, a Delegada Ana Tarouco recebeu diversas mensagens de apoio e carinho pelo tempo e serviços prestados tanto aqui em Livramento, quanto nas cidades que a Delegacia abrange.
Sempre na linha de frente do combate à criminalidade, Ana destacou alguns momentos que a marcaram no ciclo que esteve aqui: “Saio do comando da Região com a sensação de missão cumprida, embora mais tenha aprendido do que ensinado. Aqui tive um aprendizado ímpar na temática Gestão de Recursos Humanos, pois coordenar Delegados e Agentes é uma tarefa desafiadora, ainda mais em região de fronteira onde a regra são policiais “com longos anos de casa”, sem que tenham trabalhado em outras Regiões do Estado, o que os torna diferenciados. É simples “gerenciar” quando se tem todo acesso, apoio e recursos, mas tenho que é na ausência desses pré-requisitos que se forja um gestor. Pontuo, entretanto, sem medo, que o sucesso desta missão árdua só foi possível pela entrega individual de cada policial da Região, a quem renderei sempre minhas homenagens. A missão foi realizadora, pois aqui conheci policiais abnegados, entregues e leais à causa de “servir e proteger”. E não só isso! Policiais orgulhosos da Instituição e de peito cheio a desfilar com sua bandeira pela Andradas no 7 de Setembro”, destaca.
Questionada sobre sua ação mais marcante, Ana lembra da operação “Deu Zebra”: “vários foram os momentos marcantes. A Operação ‘Deu Zebra’ considerada a maior investigação de lavagem de dinheiro na história da polícia até então, e que, pela qualidade do trabalho, rendeu a mim e à equipe de inteligência da Delegacia Regional a medalha de mérito investigação no ano de 2018. A investigação que culminou com a prisão de envolvidos pela venda de bebês no ano de 2017. Uma atuação trivial, corriqueira, que quase acabou em tragédia em 2016 quando um veículo foi usado como arma contra mim (foram segundos “eternizados” na minha mente e que me renderam vários “apelidos” pela imprensa estadual). A investigação que prendeu um foragido da justiça catarinense, acusado da chacina da família em 2017, também. A operação em parceria com a PRF que apreendeu mais de 400kg de maconha, droga que tinha por destino a nossa Região e que potencializa nossas mazelas sociais. Por fim, a investigação que apontou e prendeu um indivíduo acusado de pedofilia em atuação há mais de 15 anos na cidade de Livramento. Ou seja, foram muitos exemplos positivos”, conta.

O que Ana Tarouco leva na bagagem de Sant’Ana do Livramento?

“Levo o exemplo de um povo acolhedor e um “balaio” de exemplos (positivos e negativos) de práticas policiais e de gestão. Respeito muito o ditado: a palavra convence, mas o exemplo arrasta! Fui arrastada por muitos exemplos”, diz.

Onde estará a delegada e quais seus planos futuros?

“No momento estou em atuação na 9ª Região Policial em Bagé. O futuro é hoje! Meus planos são singelos, dentre eles o de continuar me aprimorando nas temáticas de minha predileção, dentre elas a gestão (nunca é demais entender cada vez mais deste assunto), a investigação criminal qualificada, e me manter atuante na minha nova Região. Já disse em outra ocasião, meus coturnos e pistola estão à postos”, finaliza a Delegada.

João Victor Montoli
joaovictor@jornalaplateia.com