“Ali ninguém vai estuprar ela”, diz o vereador Garrão sobre Mari Machado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Logo no início desta terça-feira (7) começou a circular um áudio de Whatsapp atribuído ao vereador Ulberto Navarro, o Garrão (DEM). Na mensagem enviada para um grupo com todos os vereadores de Sant’Ana do Livramento, Garrão falava sobre o convite feito pela prefeita Mari Machado (PSB) para que todos os edis comparecessem à sede do Executivo Municipal.
Revoltado, o vereador disse que não iria comparecer e que se a Prefeita desejasse falar com os vereadores, que fosse até à Câmara. Na sequência, proferiu uma série de ofensas ao descrever Mari. Ainda de forma pejorativa acrescentou: “Se a Prefeita quer falar com os vereadores, ela que vá na Câmara, cara. Ali ninguém vai estuprar ela, ninguém vai assediar ela em nada. Pode ter certeza. Quem poderia ter assediado, já não quer mais ela, entendeu? Então, ela que fique bem tranquila”.
Após a grande repercussão da mensagem, o Vereador participou do programa da rádio RCC FM (95.3) Boa Tarde Cidade!, onde assumiu a autoria do áudio, se disse arrependido e se justificou afirmando que o grupo era privado e que as mensagens nele publicadas não deveriam ter sido vazadas.
O vereador ainda divulgou uma nota em suas redes sociais com o pedido de desculpas e as suas explicações. Também através das redes sociais, diversos representantes de partidos políticos, inclusive do Democratas, partido de Garrão, publicaram notas de repúdio à mensagem.
Ainda no mesmo dia, os vereadores Marco Monteiro (REDE) e Carlos Nilo (PROGRESSISTAS) protocolaram um requerimento de abertura de uma sindicância junto à Comissão de Ética Parlamentar.
Já na quarta-feira (8), Mari Machado manifestou-se pela primeira vez sobre o assunto. Por telefone, também ao Boa Tarde Cidade!, a Prefeita disse que não há pedido de desculpas que retire o que foi dito. “Eu não tenho absolutamente nada a dizer porque eu acho que quando se responde a um comentário infeliz, machista e injurioso a gente desce ao mesmo nível da pessoa”.
A chefe do Executivo agradeceu às manifestações de apoio que recebeu e disse que tomará as medidas cabíveis. “As medidas que eu preciso tomar serão tomadas. Fiquei triste, obviamente, e acho que ninguém merece passar por isso”, pontuou.