Sérgio Aragon fala sobre a reestruturação da saúde pública em Sant’Ana do Livramento

Durante o programa Boa Tarde, Cidade, o secretário destacou a busca de sua gestão por um serviço eficiente

Nesta sexta-feira, dia 31, o programa da rádio RCC FM (95.3), Boa Tarde, Cidade recebeu o responsável pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Sant’Ana do Livramento, Sérgio Aragon, que falou sobre a situação da saúde no município.

A conversa foi aberta tendo as unidades básicas de saúde da cidade como tema de debate. Durante a explanação, Aragon destacou a reestruturação que está sendo feita na rede. “A rede é fundamental para desafogar inclusive o hospital. A vocação da rede é a saúde preventiva, fazer tratamentos, exames e dar o primeiro atendimento à população’’.

O secretário falou ainda sobre a estrutura física e elogiou a equipe que atende nos postos, mas lamentou alguns entraves contratuais. “Nós temos, neste momento, algumas dificuldades porque existe uma defasagem de mais médicos no Brasil. Temos contratos vencendo, profissionais que terminaram o contrato, que transferiram ou abriram mão […], mas já está abrindo edital’’. Mesmo assim, Aragon destacou que há um planejamento para evitar que a comunidade fique desatendida.

O que falta ainda são materiais para os atendimentos. Quanto à essa questão, o titular da pasta garantiu que em breve o estoque já deve estar reposto. “Há uma demanda de materiais básicos desde dezembro. Estamos há trinta dias, pegamos o mês de janeiro ainda pela metade, mas nós estamos com foco para que chegue esse material o quanto antes possível’’.

Ainda sobre a falta de insumos, o gestor revelou que quando assumiu o cargo, encontrou atas de medicamentos paradas por falta de parecer médico desde junho do ano passado. “Isso eu posso dizer com certeza, (no governo anterior) não havia foco privilegiando a saúde’’.

Aragon revela ainda que em sua passagem anterior como secretário de saúde do município, em 2017, havia montado um consultório odontológico completo na unidade de atendimento da Vila Real. “Era só inaugurar, mas a antiga gestão resolveu desmontar o consultório”, comenta.
A entrevista foi finalizada com o secretário sendo perguntado sobre a falta de médicos na Santa Casa de Misericórdia. Quanto a isso, Aragon afirma que o quadro está completo. “Pelo contrário, a gente teve um grande respaldo, uma grande parceria da equipe médica do hospital. Ainda estamos reestruturando todos os contratos e os funcionamentos das equipes em cada setor”, declara.

Murilo Alves | muriloalveslvto@gmail.com

Grupo Aplateia