Novo gestor da Santa Casa afirma não ter bens indisponíveis

Valmir Silveira foi acusado por uso irregular de verbas públicas em 2016

Na edição anterior do jornal A Plateia, foi publicada uma matéria que anunciava o novo gestor da Santa Casa de Misericórdia de Sant’Ana do Livramento. Ao longo do texto, além de um breve perfil de Valmir Silveira, também foi citado um processo onde ele e o ex-prefeito, Wainer Machado, foram acusados de uso irregular de verbas públicas.
A denúncia foi apresentada pela 1ª Vara Federal de Livramento e, durante a análise do processo, a dupla teve seus bens, que somados chegavam à R$ 4,3 milhões, bloqueados à pedido do Ministério Público Federal (MPF).
Por telefone, Machado disse que assim que as justificativas foram prestadas, os bens foram liberados. O ex-prefeito afirmou ainda que já respondeu a 31 processos e que, contando com este, fora absolvido de 90%.
Já, Silveira informou que estava em viagem quando foi procurado pela Redação do jornal A Plateia para dar o seu contraponto, mas em outra oportunidade, afirmou que não houve desvio de verbas.
Além disso, o gestor também encaminhou uma nota à Redação que está disponível na íntegra a seguir:
“Fui absolvido 100% da denúncia que referiu o processo. Não tenho bens indisponíveis. No referido processo, foi questionado a origem dos valores que foram repassados da Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde exatamente para a Santa Casa.
A decisão do Poder Judiciário Federal foi de ABSOLVIÇÃO minha, do Prefeito Wainer e dos 2 médicos que eram Diretores da Santa Casa na época. O imóvel meu que esteve indisponível foi liberado face a decisão correta que a justiça concedeu.
Destaco que em nenhum momento foi questionado DESVIO de recursos públicos e sim possíveis falhas administrativas de classificação orçamentária. A totalidade dos valores tinham convênios, lei autorizativa e foram aplicados corretamente na Santa Casa de Misericórdia”.

Grupo Aplateia