Produtores santanenses são destaques na produção leiteira

Paulo Osório e sua mãe Evonir Cardoso se dedicam à produção leiteira há quase três anos, e atualmente compõe uma das “Unidades Demonstrativas” do Programa Juntos para Competir.

Sant’Ana do Livramento, há vários anos, é destaque em várias culturas na produção agropecuária, com uma diversificação cada vez maior na sua matriz produtiva com o incremento de novos produtores que estão apostando no potencial do agronegócio. A vocação pecuária dos campos da fronteira lidera as estatísticas de produção, com grandes propriedades voltadas à criação de gado de corte, ovinocultura e gado leiteiro. Além da agricultura que vem ganhando cada vez mais espaço, nos últimos anos, em nosso município, com a implantação das lavouras de soja, por exemplo.

É dentro deste cenário que o técnico em agropecuária, Paulo Osório Lemes, juntamente com sua esposa Thaiane, o filho Miguel, e com o apoio incondicional de sua mãe Evonir decidiram começar a trabalhar na produção leiteira há três anos. Sem muita experiência no ramo, contando com a ajuda de amigos e pessoas ligadas ao setor, a família arrendou terras na região do Marco do Lopes onde iniciou a produção com apenas duas vacas de leite. No início a produção seria apenas para o consumo próprio. Mas em seguida o negócio foi dando certo e vieram os investimentos. Como conta o produtor: “A gente começou bem caseiro, e o pessoal nos chamava de loucos, porque todo mundo estava parando de produzir por conta dos custos que são altos e porque o manejo dá muito trabalho. Mas, com o incentivo da mãe e da esposa, fomos tocando em frente. Meus irmãos também nos auxiliaram muito, desde o início, além de outros produtores mais experientes. Há um ano, a gente trocou de área e arrendamos uma propriedade na região da Tafona. Hoje, nós temos cerca de 32 vacas na ordenha, e produzimos por volta de 600 litros de leite por dia. E, aos poucos, estamos investindo em maquinário” conta.

A propriedade de 50 hectares é destinada, especificamente, para o leite, onde ocorre o ciclo completo de pastagem, a ordenha acontece duas vezes ao dia. O leite é retirado dos aninais e acondicionado em dois tanques, de 2 mil litros, refrigerado a uma temperatura de 3º graus. A família optou por fazer a venda para uma empresa de laticínios da cidade de Cruz Alta que realiza a coleta de dois em dois dias.
Recentemente, a família optou por buscar mais conhecimento técnico através do Programa Juntos para Competir do SEBRAE, SENAR e FARSUL, que possibilitou uma melhoria em todo o manejo da propriedade por meio da assistência técnica. “Faz três meses que estamos no programa, porque a gente acredita ser preciso aprender sempre mais, para produzir melhor. Recebemos aqui a visita de dois técnicos do programa que nos dão toda a orientação. E isso faz a diferença”.

O trabalho realizado na propriedade, além de trazer renda para a família, rendeu bons frutos pois no 5º Encontro de Produtor para Produtor realizado, nesta semana, em Rosário do Sul receberam uma placa de “Unidade demonstrativa” do programa Juntos para Competir, e isto significa que a partir de agora a propriedade poderá receber outros produtores, alunos e pessoas ligadas ao AGRO para conhecer mais sobre a produção leiteira.

Matias Moura
contatomatiasmoura@hotmail.com

Grupo Aplateia