Incêndio proposital consome mais de 5 km de vegetação às margens da BR 158

Além de consumir grande parte de mata nativa e ciliar, a fumaça colocou em risco a vida dos motoristas que trafegavam na rodovia. Segundo os Bombeiros fazer queimadas é crime.

Nesta semana, um grande incêndio assustou os motoristas que trafegavam pela BR 158. Em tempo de repercussão mundial das queimadas em áreas da Amazônia e em outros locais do planeta, que destroem não somente a fauna e flora, mas também contribuem para a degradação do meio ambiente e aquecimento global, a origem do fogo em Sant’Ana do Livramento seria proposital segundo o Corpo de Bombeiros.
Ao longo da rodovia várias cortinas de fumaça, dos dois lados da pista, e foco de incêndio chamaram a atenção de quem trafegava pela BR 158, na terça-feira dia 1º de outubro. A cena era impressionante, o fogo se estendia por quase 5 km nos dois lados da pista na altura do KM 535, próximo ao trevo da Faxina, consumia a vegetação local, árvores, e cercas das propriedades vizinhas. O Corpo de Bombeiros foi acionado para tentar controlar as chamas que ardiam sendo açoitadas pelo forte vento que soprava. Em pelo menos dois pontos se formaram cortinas de fumaça na pista forçando os motoristas a reduzirem a velocidade por causa do risco de acidentes.
Segundo os soldados do Corpo de Bombeiros que chegaram no local por volta das 16 horas, todas as características do incêndio são da prática conhecida como “queimadas” onde as pessoas acabam colocando fogo para fazer a “limpeza” de uma área de vegetação. As condições meteorológicas como temperatura de aproximadamente 35 graus, baixa umidade no ar e vento forte acabaram ampliando o potencial destrutivo do fogo e por consequência dificultando o trabalho da equipe que trabalhava para conter o incêndio. A reportagem do Jornal A Plateia esteve no local e registrou o difícil trabalho dos Bombeiros no combate às chamas. Com a utilização da técnica de “abafamento” do fogo os militares tentavam diminuir o impacto causado pelo incêndio que deixou, para trás, rastros de destruição. Felizmente os Bombeiros contaram com a ajuda dos céus, pois naquela mesma noite a chuva chegou na região apagando qualquer foco de incêndio que ainda pudesse existir.

Matias Moura
contatomatiasmoura@hotmail.com

Grupo Aplateia

Adicionar Comentário