qua, 17 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Abigeato volta a assombrar produtores da Linha Divisória

Pecuaristas preocupados com a escalada dos ataques nas propriedades convocaram reunião com as forças de segurança.

A dura realidade na rotina dos pecuaristas da Linha Divisória, que há décadas sofrem com os ataques a suas propriedades, onde o abigeato parece não ter mais fim. Embora os casos diminuam em alguns anos e em algumas épocas do ano, este tipo de crime continua acontecendo de maneira sazonal, mas o que antes acontecia somente em determinadas situações, como na troca das luas e períodos específicos, neste ano tem se tornado cada vez mais frequente e com a ação de crimes que estão furtando um número cada vez mais de animais.

Tal fato resultou no pedido de parte dos proprietários de áreas das regiões da Coxilha Negra, Cerro Chato, Galpões e Capão do Inglês a solicitaram uma conversa com as forças de segurança. O encontro aconteceu na segunda-feira (1º), no restaurante do Sindicato Rural de Livramento. Embora os dados oficiais do estado apontem 30% neste tipo de crime, a Fronteira Oeste, sobretudo Sant’Ana do Livramento e a sua Linha Divisória de aproximadamente 200 km de fronteira seca, seguem sendo muito afetadas pelo furto de animais.

 A reunião foi conduzida pelo presidente do Sindicato Rural, Luís Carlos D’Áuria Nunes, e pelo produtor rural Lourenço Acaum que esteve respondendo pela entidade no mês de junho.

Durante o encontro realizado naquela manhã, que contou com a participação do Tenente-coronel da Brigada Militar Aníbal Silveira e do Capitão Platini, comandante do Policiamento Ostensivo, e da delegada da Polícia Civil Giovana Muller, os produtores tiveram a oportunidade de expor algumas situações que estão sendo registradas nessas regiões do município que vem sofrendo com a ação de criminosos furtando animais de muitas propriedades. Somente um dos produtores presentes na reunião relatou o furto de 21 animais de sua propriedade ocorrido neste fim de semana na região do Espinilho. O produtor, que não quis se identificar, disse que a região sofre com esse tipo de ação de criminosos há muitos anos, sendo que animais da sua propriedade já foram furtados e recuperados em solo uruguaio através do trabalho da Polícia de Rivera. “Anos atrás nós tivemos que contratar, do nosso bolso, um avião para sobrevoar uma área de mata onde os animais poderiam estar escondidos. Isso e mais o trabalho do BEPRA de Rivera, os animais que estavam escondidos na mata foram soltos pelos abigeatários e recuperados depois de um intenso trabalho de rastreio”, disse o produtor rural.

Após ouvir os produtores rurais, o Tenente-coronel Aníbal Silveira disse que a Brigada Militar vem atuando de forma ostensiva, por meio da sua Patrulha Rural, que realiza o policiamento no interior do município e além das operações pontuais de saturação de área como é o caso da operação Agro Hórus que recebe reforço de guarnições de outras cidades. “Essa troca de informações é muito importante para nós. Porque a nossa Patrulha Rural sai, diariamente, para o interior do município, não ficando nenhum dia sem estar no terreno. Claro que nós temos essa realidade de uma grande extensão de território de mais de 170 km de fronteira seca que é uma questão que tem que ser levada em conta. E neste sentido, nós destacamos o trabalho binacional com a Polícia do Uruguai. Tivemos uma redução no nível de estado em torno de 30%. Aqui em Livramento, os indicadores nos mostram menos 19% de ocorrências, em 2023 no primeiro semestre tivemos quase 100 ocorrências e neste ano, no mesmo período, temos 56 ocorrências registradas”, apontou.

Já a delegada Giovana Muller destacou a importância do registro de ocorrência como forma de documentar os crimes que, muitas vezes, são de difícil elucidação pela falta de elementos probatórios. A delegada destacou também que a equipe do Núcleo de Repressão aos Crimes Rurais e o Abigeato segue realizando o trabalho investigativo. “Em relação ao abigeato, nós temos policiais que trabalham diuturnamente somente para este tipo de crime. Há um destaque da Polícia Civil no enfrentamento desses delitos. Por exemplo, não temos cartório especializado em crimes sexuais, não temos cartório para o crime de roubo, de tráfico, onde a investigação é feita pelos outros policiais que trabalham em todas as áreas. Então, o abigeato tem uma equipe para investigar e trabalhar somente nesta área. A Polícia Civil trata essa questão de forma muito séria e à medida que os crimes vão surgindo eles vão sendo investigados”, disse a delegada.

Após a reunião ficou acertado que o Sindicato Rural irá elaborar um documento com alguns pontos e sugestões dadas pelos produtores da região que será destinado à secretaria de Segurança Pública do Estado solicitando mais investimento para as forças de segurança da Fronteira. Foi anunciado, também durante o encontro, que através do gabinete do deputado estadual Frederico Antunes será destinada uma viatura nova para a Patrulha Rural de Sant’Ana do Livramento. O veículo deverá chegar em breve.

Presidente e auditores do TCE-RS participam de painel sobre calamidade pública na Famurs

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), conselheiro Marco Peixoto, e os auditores de Controle Externos, além da diretora-geral, Ana Lucia Pereira; do diretor de Controle e Fiscalização, Roberto Tadeu de Souza Júnior, e o coordenador da Consultoria Técnica, Evandro Homercher, integraram hoje (17), o painel “Atuação dos poderes e órgãos de justiça e controle nas ações de