qui, 18 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Governo anuncia 425 unidades habitacionais para Livramento através do “Minha Casa, Minha Vida”

Representantes da cidade acompanharam contemplação em Brasília

O Governo Federal anunciou, nesta semana, que Sant’Ana do Livramento será beneficiada com 425 unidades habitacionais através do programa “Minha Casa, Minha Vida Entidades”. De acordo com o site da Secretaria de Comunicação Social, o Centro Cooperativo de Capacitação, Assessoria e Mobilização (CECAM) ficará responsável por um dos três empreendimentos com 197 casas. Já a Cooperativa de Trabalho e Habitação, com as obras de 128 unidades. A Cooperativa de Trabalho Mista Solidária Utopia e Luta (Coopsul) terá um projeto de 100 residências.
Segundo o vereador Leandro Ferreira (PT), que é integrante da direção estadual do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) no RS e acompanhou o anúncio do Governo em Brasília nesta semana, as 197 casas serão o projeto do loteamento “Vila Nova II” e as 128 no Loteamento “Nova Alvorada”, que deverá ser construído no Jardim Alvorada. Já o outro projeto, de 100 apartamentos, está sob coordenação do Movimento União por Moradia Popular.
Quanto às inscrições, essas ainda não foram abertas oficialmente, mas em entrevista, o vereador Leandro orientou os interessados a procurarem a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) para a criação do Cadastro Único (CadÚnico), fundamental para a participação no MCMV.
O presidente Lula (PT) criou o programa Minha Casa Minha Vida em fevereiro do ano passado. As medidas são coordenadas pelo Ministério das Cidades, comandado por Jader Filho (MDB).

Lorenzoni e Camozzato oficiam MP de Contas sobre projetos do governo que reestruturam carreiras

Os deputados Rodrigo Lorenzoni (PL) e Felipe Camozzato (NOVO) protocolaram na tarde desta quarta-feira (17), no Ministério Público de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, ofício alertando o Procurador-Geral Ângelo Borghetti sobre possível manobra fiscal imprudente e gestão temerária por parte do governador Eduardo Leite.   A decisão de recorrer ao MPCRS foi tomada após os deputados conhecerem