seg, 15 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Programa de Certificação da Lã Gaúcha é apresentado em Livramento

A iniciativa foi discutida durante evento no Sindicato Rural que contou com várias lideranças estaduais e ovinocultores do município

A retomada do crescimento da ovinocultura gaúcha tem sido a temática de vários debates, reuniões, encontros e painéis, envolvendo lideranças de importantes entidades do agronegócio do estado. O Rio Grande Sul, que já ocupou o primeiro lugar na criação de ovinos do país, hoje está atrás de estados como Bahia e outros do nordeste brasileiro, e vem passando por um processo de desvalorização há vários anos com produtores abandonando a atividade por conta de problemas que vão desde a falta de mão de obra qualificada, perdas por predadores, baixa remuneração da lã, até a concorrência com outras atividades como a agricultura, no caso, a soja.
Neste sentido é necessário buscar alternativas que possibilitem uma retomada dessa atividade que faz parte do DNA do povo gaúcho, sobretudo do fronteiriço. Pensando nisso, a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO) criou o programa de Certificação da Lã Gaúcha, que foi apresentado durante um encontro que ocorreu no dia 22 de março no Centro de Eventos do Sindicato Rural de Livramento e contou com presença de diversas lideranças do setor.
Na oportunidade, o presidente da ARCO, Eduardo Gressler, destacou que a retomada da valorização da atividade passa por uma união de toda a cadeia produtiva com melhorias como a genética e o manejo adequado dentro e fora das propriedades buscando, sobretudo, mais competitividade. “Santana do Livramento é um município que tem na sua grande expertise a produção de ovelhas e é o munícipio que tem a maior população ovina e por consequência disso há uma necessidade extremamente importante de capacitar e mostrar para o produtor a importância que deverá ser a “colheita da sua lã”. Então, este programa tem esse propósito de alertar os produtores sobre a necessidade de uma mudança de cultura e profissionalizar a atividade, para que assim a gente possa melhorar a comercialização deste extraordinário produto que temos,” destaca.
O programa de Certificação da Lã Gaúcha se baseia em pilares como as boas práticas no manejo durante o processo de tosquia utilizando o método de coleta do projeto de esquila Tally Hi pensando sempre no bem-estar animal que possibilita uma maior valorização no preço final do produto. “Este programa tem o objetivo de criar alternativas para melhorar a comercialização das nossas excelentes lãs que temos aqui no estado. Porque nós não podemos aceitar que um produtor que tem um produto de primeiríssima qualidade não seja remunerado da maneira correta ou justa. Nós implantamos esse programa em um momento bastante difícil para a produção mundial de lã que sofreu muito com a pandemia. Então, o que nós estamos apresentando é uma alternativa, sobretudo, para os pequenos produtores, pois a ovinocultura é totalmente viável e traz uma boa remuneração dentro da pequena propriedade trabalhada da forma profissional”, destacou o técnico da ARCO, Sérgio de Menezes Muñoz, responsável por apresentar o programa.