seg, 15 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Isso é coisa de Mãe – Em homenagem às mães, A Plateia conta a história de Paula Bougleux

Após uma série de reportagens, ao longo da semana, conheça a história de mais uma mãe santanense de coração

Nessa semana, o Jornal A Plateia apresentou em sua página na internet uma série de histórias de diferentes mães da Fronteira da Paz. Neste fim de semana especial, essa edição não poderia deixar de homenageá-las e para fazer isso, você conhecerá Anna Paula Marques Bougleux.
Conhecida como professora Paula, a carioca de 53 anos fez de Sant’Ana do Livramento o seu lar. Além de pedagoga, ela é diretora da Escola Estadual Cláudio Moreira na zona rural do município. É mãe de Amanda(35), Samuel (24), Matheus (23), Geomar (17), Luidsom (10) e Clarissa (8).
Segundo Paula, todos os filhos maiores trabalham, Amanda é aeromoça, Samuel é estudante de engenharia da produção na UFRGS e trabalha no Niederauer, Matheus e Geomar são estudantes no IFSUL, Luidsom e Clarissa estudam na rede estadual do município.
“Esse momento de pandemia não tem sido fácil para nenhum trabalhador, muito menos para os trabalhadores da Educação. Estamos trabalhando de forma remota em casa, praticamente com a carga horária de trabalho dobrada, além de toda as atividades do lar. Com dois filhos pequenos em casa, isso pressupõe em ajudá-los nas tarefas da escola, cozinhar, trabalhar e cuidar da casa quando é possível. Ou a gente trabalha e dá atenção aos filhos, ou a gente cuida da casa”.
Os momentos de lazer da família de Paula são todos em casa, seja assistindo filme, seja no pátio conversando. “O nosso lazer é dentro de casa, nós não saímos, meus filhos não saem. Compreendemos que é muito difícil estar nas ruas, correndo os riscos de contágio, de adoecer de forma mais grave e precisar de uma hospitalização e acabar não tendo espaço nos hospitais ou até mesmo tirando espaço de trabalhadores que necessitam”.
De acordo com Paula, os filhos pequenos, na fase de alfabetização, têm suas atividades todas entregues pela escola de forma física, e o trabalho em equipe entra em ação.
“Não está fácil conciliar casa, trabalho, família, filhos pequenos em fase de alfabetização, e até mesmo cuidar dos filhos grandes. O trabalho é redobrado. Sabemos que ficar em casa pressupõe uma série de outras coisas. Mas o mais importante nesse momento é preservar as nossas vidas e as vidas de todas as pessoas que estão ao nosso redor e no nosso ambiente”.