qua, 17 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

7º RCMec libera conscritos para solenidade de formatura escolar

Três novos militares formandos da escola Sílvio Ribeiro receberam seu certificado

Emocionante, assim foi definida a formatura dos ensinos fundamental e médio da escola Sílvio Ribeiro. Além da emoção por estar concluindo uma fase muito importante em suas vidas, uma surpresa no evento chamou atenção de todos.Uma surpresa foi organizada para as famílias de três jovens que na última segunda-feira incorporaram para prestar serviço obrigatório no 7º RCMec. O diretor João Santos combinou com a família dos meninos que, pelo ingresso recente ao Exército e o período de internato, o certificado seria entregue para a família durante a solenidade. O que os pais dos garotos não sabiam era que tudo isso estava fazendo parte de um plano. João Santos, que serviu ao exército, solicitou ao comandante do Regimento uma liberação para poucas horas dos garotos, para receberem o certificado e dar um abraço em suas famílias, o que foi rapidamente aceito pelo comando.

E assim foi feito, durante o início da solenidade, os jovens, vestidos de camiseta branca e calça jeans, foram adentrando o ginásio da escola para surpresa e emoção de muitos. Em publicação nas redes sociais, o diretor comentou sobre o evento na noite de quinta-feira sobre a formatura dos Ensinos Fundamental e Médio.
“Num momento inédito, o Exército (7º R C Mec.) libera 03 conscritos, em regime de internato, para participarem da formatura. Surpresa para as mães. Caiu cisco no olho de muita gente”, destacou João.

Lorenzoni e Camozzato oficiam MP de Contas sobre projetos do governo que reestruturam carreiras

Os deputados Rodrigo Lorenzoni (PL) e Felipe Camozzato (NOVO) protocolaram na tarde desta quarta-feira (17), no Ministério Público de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, ofício alertando o Procurador-Geral Ângelo Borghetti sobre possível manobra fiscal imprudente e gestão temerária por parte do governador Eduardo Leite.   A decisão de recorrer ao MPCRS foi tomada após os deputados conhecerem