qua, 19 de junho de 2024

Variedades Digital | 15 e 16.06.24

Troca de gerentes na Ouro e Prata Livramento

Visita para o Diretor Antônio Badra. Presentes os gerentes da Ouro e Prata, Alex Dickmann e Alberto Gallo
Visita para o Diretor Antônio Badra. Presentes os gerentes da Ouro e Prata, Alex Dickmann e Alberto Gallo

Alex Dickmann deixa Santa Rosa para trabalhar em Livramento e faz a troca com Alberto Gallo

Nesta semana a Unidade da Ouro e Prata em Santana do Livramento recebeu o seu novo gerente, Alex Dickmann, que deixa a cidade de Santa Rosa e vem para a Fronteira. Já o gerente Alberto Gallo assumir á a unidade de Santa Rosa. Os dois fazem uma troca após dois anos em cada cidade.
Antes da troca definitiva, os dois gerentes regionais visitaram o Jornal A Plateia e conversaram com o Diretor Presidente Antônio Badra e tiveram uma participação no programa da RCCFM, Conversa de Fim de Tarde.

A história da Ouro e Prata

A história da Ouro e Prata começa em 1º de setembro de 1939, quando Willy Fleck e Raimundo Fleck fundaram a empresa Crissiumal para o transporte de carga e de passageiros. O crescimento foi rápido e, um ano depois, a empresa, que começou com um caminhão de passageiros misto e dois caminhões de carga, adquiriu seu primeiro ônibus fechado, em uma iniciativa pioneira na região.
Em 1960, a Ouro e Prata mudou sua sede de Ijuí para Porto Alegre, ocupando um espaço para aproximadamente 30 ônibus, o que foi suficiente por apenas algum tempo, já que o crescimento constante da empresa exigiu uma nova sede, mais ampla, que foi instalada da rua Frederico Mentz, no ano de 1976.
Quase duas décadas depois, em 1990, a Ouro e Prata deu mais um grande passo, com suas linhas ultrapassando as barreiras do estado e chegando a Canarana, no Mato Grosso.
De lá para cá, o trabalho sério com forte investimento em pessoas, inovação e tecnologias só consolidou ainda mais a Ouro e Prata no mercado.

CMPC confirma investimento no RS, mesmo após enchentes

A multinacional chilena CMPC confirmou que o investimento no Estado, anunciado durante a assinatura do protocolo de intenções com o governo estadual no final de abril, terá seguimento, mesmo após os eventos climáticos que atingiram o RS. A confirmação dos R$25 bilhões, que terão como destinação a instalação de uma nova planta industrial de produção de celulose em Barra do