seg, 17 de junho de 2024

Variedades Digital | 15 e 16.06.24

Trinta anos doando amor e cuidados

Onilda considera cada um como da família (Foto: Elis Regina/AP)
Onilda com Loló no colo, um dos “mimosos” da família (Foto: Elis Regina/AP)

Onilda Gonzalez, 78 anos, acolheu em sua casa mais de 20 cães e seis gatos

Quase no Centro de Santana do Livramento a reportagem do Jornal A Plateia encontrou uma história quase singular: Onilda Gonzalez é uma santanense de 78 anos de idade que há 30 divide as atividades do seu dia para cuidar de cães e gatos que foram abandonados, ao lado de sua filha.
Onilda conta que tudo começou no ano de 1989 quando apareceu na porta de sua casa uma caixa com alguns filhotes abandonados. A senhora ficou de coração partido e decidiu cuidar dos animais, foi quando outras pessoas foram doando animais ou pedindo para que ela cuidasse dos bichinhos. Onilda conta de um caso onde uma pessoa ligou avisando que iria mandar um presente por meio de um taxi, mas quando o motorista chegou, ele trazia mais um cachorrinho.
A moradora prepara duas panelas de comida por dia para os animais, e segundo ela, eles comem de tudo, “só não comem as pedras do pátio porque é muito duro”, brinca. Além da ração e arroz, eles também comem frutas e pão.
Onilda tem a maioria dos cães a cadelas castradas e garante que tem em dia as vacinas e vermífugos de todos. Perguntada se ela não entrega para adoção, a moradora respondeu que não se anima a entregar mais nenhum dos cães pelos quais já se acarinhou.
Na casa nenhum dos cachorros briga ou se estranha, a disputa só acontece por carinho, segundo contou Onilda. A senhora sabe o nome de todos de memória: ‘amigo, nico, lessi, guri, mancha, orelha, gorila, loló, lelinho, juriti, diana, chiquinha, toquinho, joaninha e luluzinha branquita são alguns dos nomes curiosos da família canina de Onilda e sua filha.
Além dos cães, a moradora tem ainda seis gatos que vivem mais livremente na casa, todos vivem em harmonia e se relacionam, dormem pelos tapetes, pelo só e cadeiras e assim levam os dias e semanas ao lado da sua maior protetora.
Em tempos de maus tratos e violência contra os animais, Onilda disse que lamenta ver e ouvir falar de tantos casos de abandono contra animais e fez um pedido para que os santanenses se solidarizem com a causa animal, para que tenha a posse responsável e não abandonem filhotes ou cães adultos. Atualmente a moradora disse que não pega mais nenhum bichinho para cuidar porque não possui mais condições, mas dos seus, ela jamais irá desistir ou deixar de dar amor carinho, “todos deveriam fazer o mesmo”, finalizou.

Solidariedade em prol do RS

Chegamos aos 80 mil Nessa jornada todos foram extremamente importantes. Nós, voluntários, queremos continuar. As doações pararam… estamos praticamente sem recurso financeiro para compra dos insumos. Estamos com novo pix,  Leda 51998075161 Nos ajuda a ajudar os outros. Obrigada Turma do Cachorro Quente menos