ter, 19 de outubro de 2021

Aplateia Digital - 16/10/21

Última Edição

O descarte

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Falamos tanto em descarte consciente e preservação do meio ambiente, no entanto nosso lixo vai de qualquer maneira para um aterro, dito sanitário em outro município porque, em razão de nosso aquífero, não podemos ter aterro sanitário. Porém, podemos fazer algo de útil e rentável com o nosso lixo. O dinheiro está à disposição já há um bom tempo, o projeto concluído e pessoas dispostas e necessitadas não faltam. Aliás, o projeto saindo do papel quantas pessoas de baixa renda não serão beneficiadas! Só que precisa ser liberado por nossos edis. Sim, meus caros amigos, basta apenas, digo e repito apenas nossos edis se dignarem a liberar o projeto que já se encontra na Câmara de Vereadores de Sant’Ana do Livramento. Estou dizendo bobagens? Infelizmente, não. Estou falando em edis, assim no plural, para não ser mais específica.
Tudo começa com um primeiro passo. Neste caso, vários passos já foram dados, e minha responsabilidade de pessoa com um pequeno conhecimento dos resultados do descaso com o meio ambiente e com quem vem depois de mim, me deixa bastante incomodada. Já ando cansada da hipocrisia da política. Cansada de pessoas serem eleitas prometendo mundos e fundos e depois … precisa dizer?
No momento, sequer separamos o lixo de maneira correta. O óleo de cozinha, muita gente desavisada coloca junto com o lixo comum, que é jogado, no caminhão. As pilhas, as esponjas de lavar louça e demais artigos de plástico, vão todos juntos no mesmo caminhão, para serem jogados no mesmo aterro sanitário. Sei que eventualmente, eu disse eventualmente, a Prefeitura faz coleta em locais determinados, de objetos descartados, como eletrônicos e afins, porém, em virtude do intervalo de tempo dessa coleta, a quantidade se torna imensa, seria necessário um novo reestudo para também facilitar às pessoas que têm dificuldade de levar até o local. Falta consciência das pessoas? Também. Falta as pessoas serem educadas e conscientizadas com suas atitudes? Também. Porém, é uma sequência de atitudes da população e dos órgãos públicos para que o fim seja alcançado.
Ah, e é claro, o projeto tem que ser liberado pela Câmara imediatamente, deixando o jogo de beleza de lado. Aliás, a beleza ali passou longe, junto com o bom senso.

FUTEBOL: PAIXÃO SEM SENTIDO. MAS É PAIXÃO!

Buenas!,   Nesta semana, depois de quase dois anos, frequentei um estádio de futebol. Não há porque guardar segredos, não sou comentarista esportivo, portanto confirmo