sáb, 27 de fevereiro de 2021

Jornal Sábado e Domingo 20.02 e 21.02.2021

Última Edição

A ignorância é um castigo ou uma dádiva?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Muitos preferem viver na ignorância.
Tem lá o seu lado positivo. Se eu não sei, não me afeta. Ou, também posso usar como argumento: ah, mas eu não sabia, ou “disso eu não entendo”, me eximindo da responsabilidade. Ainda tem aquele lado da ignorância ou do fingimento: faço de conta que a situação, ou a pessoa e sua atitude, não existe ou não é exatamente tão má ou ruim como as pessoas dizem ou querem mostrar. Como é o caso de muitos pais desculpando os erros de seus rebentos.
Tem lá o seu lado negativo – ou muitos lados negativos: não tenho a chance de escolher o que é melhor para mim. Não tenho a chance de me defender dos mais “vivos”. Não tenho a oportunidade de conhecer outros mundos, mesmo sem sair da minha casa.
Também pode acontecer a alegoria da caverna, de Platão. Viver nas sombras e quando alguém nos mostra o caminho da luz, não acreditamos porque nosso mundo é muito limitado e então, para acabar com a ameaça, matamos o mensageiro. Mudando para a nossa realidade local: a vaca tem carrapato? Matamos a vaca para acabar com o carrapato!
Pior do que a turma que prefere viver na ignorância é a turma do “sempre foi assim”, afinal, para que mudar? Sempre foi assim.
E então, ficamos dentro da caverna e depois matamos o mensageiro ou vamos à luta?

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies