seg, 25 de janeiro de 2021

Aplateia Digital - 23/01/2021

Última Edição

“Os elementos apontam serem vítimas inocentes” diz delegada

A Polícia Civil segue investigando o caso que está ligado a possível envolvimento com incêndio em residência e assassinato na linha divisória
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As equipes da Polícia Civil de Sant’Ana do Livramento estão trabalhando para a elucidação dos acontecimentos que chocaram a comunidade fronteiriça na virada do ano, onde em três dias aconteceram 4 homicídios e uma residência foi incendiada. Tudo começou no dia 31 de dezembro quando José Luis Leites da Silva, de 56 anos, de naturalidade uruguaia, foi morto com vários disparos de arma de fogo no rosto. O corpo foi encontrado no caminho internacional, localidade do Cerro do Chapéu. No local não havia sinais de furto, mas sim de uma execução.
Na sequência, no dia 1º de janeiro, por volta das 23h, ocorreu um triplo homicídio no interior de uma residência na rua Aspirante Jenner Leites, no bairro Vila Soares. De acordo com relato de testemunhas, os criminosos chegaram ao local encapuzados e executaram José Augusto Duarte Gomes, 24 anos, Camila Eliane Duarte Valério, 21 anos, e Denise Rosa Torves, 30 anos, morreram na hora. O amigo deles, que foi levado pelos criminosos, se jogou do carro em uma área próxima do limite entre Livramento e Rivera, no Uruguai, e conseguiu fugir. Ainda no início da madrugada do dia 2 de janeiro, sábado, um veículo foi encontrado incendiado na cidade de Rivera. A Polícia não descarta que o mesmo tenha sido utilizado na fuga, mas, ainda será necessário aguardar os resultados dos testes feitos pela Polícia Científica uruguaia para apontar uma relação.


Segundo a delegada Giovana Muller, da Polícia Civil, o que se sabe até agora é que os fatos podem estar correlacionados e que o trabalho de investigação procede para tentar apontar os culpados. “Desde que fomos informados do primeiro homicídio, a nossa equipe está trabalhando e apurando os fatos. E, em seguida teve o outro triplo homicídio. Então, são fatos que chocam a nossa fronteira pelas proximidades entre eles e a violência com que foram praticados. Os elementos apontam serem vítimas inocentes e isso reforça ainda mais essa problemática envolvendo facções criminosas que por sua vez estão ligadas ao tráfico de drogas. Por isso às investigações segue na tentativa de tentar identificar uma vinculação entre esses homicídios e apurar a sua autoria”.
Sobre a ligação entre os casos, a delegada disse que essa hipótese não estava descartada. ” Nós não podemos descartar nenhum desses fatos. E é bem provável que haja uma relação entre eles. Quanto ao trabalho policial, tanto a Polícia Civil quanto a Brigada Militar são responsáveis por fazer um combate permanente ao crime com operações policiais e de inteligência “, disse.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies