ter, 26 de janeiro de 2021

Aplateia Digital - 23/01/2021

Última Edição

Muda o cocô, mas as moscas …

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Vocês já amaram um lugar. Eu digo AMAR. Sabem, morar naquele lugar paradisíaco, com água do mar azul e cristalina, cachos de bananas amadurecendo no pé, abacaxis e mamões pendurados ao alcance da mão, um jet sky à disposição, água de coco, mariscos e frutos do mar, muito daiquiri ou cerveja gelada, enfim, aquele lugar que remete a nossa imaginação ao lugar mais fantástico? Pois eu não quero.
Para uma semana, dez dias, um mês até pode ser, para renovar as baterias, mas gente, eu amo a minha cidade, que nem sequer é, originalmente, minha, mas duvido que haja algum santanense tão orgulhoso de ser santanense quanto eu. Amo cada pedaço desta cidade com suas casas – umas antigas que me remetem a minha infância e outras já viraram edifícios renovando a paisagem. É aqui que eu me sinto em casa. Com cheiro de cocô de cavalo na Semana Farroupilha, com o agricultor dando murro em ponta de faca, com o comerciante instalado em sua bela loja e o concorrente batalhando com sua banquinha logo ali adiante, com os camelôs na Linha Divisória, com o turismo cada vez mais explorado – aumentando de tal maneira descontrolado que se nossos dirigentes não se atualizarem – e falo de atualização de “gente grande” – não de brincar de ser administrador, falo de gente com visão, com determinação, com ideias inteligentes e viáveis, sem medo de ser feliz, a coisa vai sair de controle. Haja vista a quantidade de ônibus estacionados ao largo do DAE deixando seu rastro de caixas vazias, sacolas de plástico e papel voando e urina em todo o lugar.
Transferiram as garças, que tinham feito de maneira natural aquele ponto seu local de reprodução anual, por causa do cheiro das fezes e perigo de doenças devido à proximidade com o CHS – Centro Hospitalar Santanense – e com a própria comunidade do entorno, porém, em seu lugar colocaram os turistas, cujos ônibus despejam seus dejetos, ali, no meio fio, no terreno onde estão as árvores, em qualquer lugar.
Que tal tornar o local uma nova fonte de arrecadação? Fazer folhetos com as novas determinações e entregar a cada motorista de ônibus que ali estacionar: quem transgredir as normas municipais deverá pagar multa. Quais são as normas? Bom, fica a critério da imaginação municipal. Quanto é a multa? Também.
A sugestão foi dada.

Reflexão

1) Brasil: País emergente Área: 8.515.000 Km2 Pop: 211.856.000 Hab PIB: 1.960.190 milhões US$ Mortes COVID: 216.500 pessoas Mortes por milhão: 1.022 pessoas ————————— 2)

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies