seg, 18 de janeiro de 2021

Aplateia Digital  -  16/01/2021

Última Edição

Ico decreta aumento da passagem de ônibus e os usuários protestam

Tema gerou polêmica nas redes sociais e na Câmara, após a publicação do decreto
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Exatamente quinze dias depois de ser derrotado nas urnas, o prefeito Ico Charopen (PDT) decretou, nesta semana, o aumento de quase 17% da passagem de ônibus urbano em Sant’Ana do Livramento. Com o reajuste, a tarifa passaria dos atuais R$ 3,00 para R$ 3,50. A medida passa a valer a partir de 1º de janeiro, mas o impacto da alta gerou repercussão negativa na comunidade ao longo dos dias que sucederam o decreto do pedetista.
Segundo o documento, a decisão foi tomada após manifestação unânime do Conselho Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana (Comut), sendo necessária para garantir o equilíbrio financeiro das empresas, bem como, para garantir a continuidade da prestação de serviço. “…fica reajustada a tarifa de transporte coletivo urbano do Município, que passa a ser de R$ 3,50, a contar de 01 de janeiro de 2021”, explicou Ico no decreto.
A prefeita eleita do município, Ana Tarouco (DEM), disse ter tomado conhecimento do decreto somente após a publicação. “A atual gestão é soberana para tomar qualquer decisão. Desejo apenas que o valor de qualquer prestação de serviço, tal como a tarifa de ônibus, corresponda à qualidade que a população merece e espera”, afirmou.
Questionada se deve fazer mudanças no reajuste, a democrata afirmou que ainda não teve acesso aos contratos do serviço. “Não posso opinar sobre valores, pois não tive acesso aos contratos ainda e a questão é bastante complexa para ser analisada sem acesso”.

REAÇÃO

Conforme o expresso no decreto, o assunto passou somente pelo Comut e pela Procuradoria Municipal. Mesmo assim, a decisão do prefeito respingou também na Câmara de Vereadores. Os parlamentares emitiram uma nota para explicar que não tinham conhecimento do aumento. “É importante ressaltar que o Poder Legislativo não tem o papel de definir aumento na passagem de ônibus da cidade, sendo ato discricionário do Prefeito Municipal, fixado através de Decreto Municipal, sem debate prévio com a Câmara de Vereadores”.
Antes mesmo da nota do Legislativo, alguns parlamentares se manifestaram sobre o aumento repentino. Marco Monteiro (PSDB) foi um dos primeiros. Ele destacou que o reajuste chega em um momento de grande crise econômica que ainda foi mais agravada pela situação de pandemia, “e, pior ainda, sem que a comunidade tenha sido consultada, recebendo dessa forma mais uma notícia negativa, às vésperas da entrada de um novo ano que esperávamos fosse de boas novas, depois de todas as dificuldades de 2020”.
Monteiro disse que nem é o valor do aumento, de R$ 0,50, o principal problema, “embora para grande parte de nossa população, com tanta gente desempregada, esse valor com certeza vai pesar no orçamento no fim do mês. Não houve nenhuma discussão com a sociedade, não houve transparência no processo, simplesmente esse decreto determinando o novo valor da passagem, sem falar no principal, que é a qualidade do serviço prestado para a nossa população”, afirmou.

EXPLICAÇÃO

Ao Jornal A Plateia, o secretário Geral de Governo explicou que essa demanda surgiu das empresas, em função da atualização dos preços de despesas das empresas de ônibus. “O transporte público ainda sofre uma redução do número de passageiros causados pela pandemia. Houve de um lado o aumento da despesa e a redução dos passageiros. As duas coisas te levam ao aumento de passagem”, detalhou Ricardo Dutra.

REPERCUSSÃO

Nas redes sociais a manifestação se deu de maneira ativa. Mal chegou a informação do aumento da passagem e as repercussões negativas apareceram. Há quem concorde com o aumento, mas a grande maioria dos comentários são contrários ao pagamento de R$ 3,50 por viagem. “Não concordo, o Ico enlouqueceu de vez com a crise em que estamos e ainda pagar 3,50 a passagem de ônibus é um absurdo”, afirmou Cleuza Maria Coelho. Catia Silvana também se manifestou: “Claro que não. É um absurdo aumentarem agora com tanta gente desempregada sempre os mais humildes é que levam a pior, além do mais passam só estragando deixando os usuários a pé”, argumentou.

CONFIRA OUTRAS MANIFESTAÇÕES

 

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies