Racha eleitoral provoca perseguição em aldeia de São Valério do Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Famílias que votaram contra o candidato apoiado pelo cacique Adílson Policena foram agredidas e expulsas de suas casas

Um racha eleitoral na Reserva Toldo Indígena do Inhacorá, no município de São Valério do Sul, tem provocado pânico e medo entre a comunidade. Tudo começou após as urnas apontarem a vitória do candidato do PP, Professor Idilio, que venceu a disputa contra o atual prefeito, Vladimir Antonio Vettorato, do PT. Inconformados com a derrota, o grupo liderado pelo cacique Adílson Policena, que apoiou o petista, começou a perseguir os indígenas que votaram na candidatura contrária ou que anularam o voto. A diferença entre os dois candidatos foi de apenas 59 votos, com 1.061 votos para Idilio contra 1.002 de Vettorato.
Após receber um pedido de socorro de parte do grupo que vem sendo perseguido, o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) encaminhou o caso à Polícia Federal e pediu providências. “Famílias inteiras foram retiradas à força de suas casas, muitas com crianças de colo, e tiveram que se abrigar no mato. Há relatos de agressões e ameaças de morte. Isso é inconcebível numa democracia”, criticou o parlamentar. Segundo Jerônimo, já não é a primeira vez que isso acontece. “Em todas as eleições os episódios se repetem, agora com um nível maior de violência e intransigência por parte do cacique”, finalizou Jerônimo.

   

Fonte: https://jeronimogoergen.com.br/noticias/racha-eleitoral-provoca-perseguicao-em-aldeia-de-sao-valerio-do-sul/

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies