Glauber Lima garante manutenção da intervenção da Santa Casa

O candidato do PT afirmou que não se arrepende te ter feito a intervenção e que, caso eleito, deve mantê-la para garantir que Livramento conte com um hospital público
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Na tarde desta quarta-feira (14) foi a vez de Glauber Lima (PT) falar sobre os seu plano de governo e projetos, caso assuma o cargo de prefeito de Sant’Ana do Livramento. A entrevista aconteceu durante duas horas dentro do programa Boa tarde, cidade, da RCC FM (95,3). Na oportunidade, os mais variados assuntos e problemas da cidade foram colocados em pauta para que o candidato pudesse expor sua visão e suas ideias para saná-los.

Um deles foi a intervenção da Santa Casa de Misericórdia, decretada em julho de 2015, durante a sua primeira passagem pelo Moysés Vianna. Quanto a isso, Lima garantiu que a situação da Santa Casa é um tema central para o seu governo e justificou a sua decisão dizendo que o fez para evitar o fechamento do sanatório. “Fiz aquela ação emergencial buscando assegurar que ela (a Santa Casa) não voltasse a fechar as portas, porque a gente sabe do custo de vida que nos tivemos, o custo financeiro comprando serviços privados de saúde à época, considerando que esse hospital é vital para o povo santanense”.

Em caso de uma eventual vitória nas urnas em novembro, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) garantiu que tentará implantar serviços de média e alta complexidade no hospital para devolver a estabilidade financeira da instituição. “Respondendo objetivamente a essa questão, eu me proponho a buscar estabilizar o quadro financeiro do hospital. […] Eu vou buscar recursos para a implantação de serviços de média e alta complexidade, como a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) neonatal. Nós precisamos ousar, estabilizar esse quadro financeiro, terminar com essa crise permanente e manter a intervenção enquanto ela for necessária para que o hospital continue de portas abertas”.

Perguntado sobre a origem dos recursos para dar início a essas ações, o candidato disse que a saída é buscar emendas parlamentares e lutar pela ampliação de financiamentos que, segundo ele, são alternativas viáveis e que podem ser feitas através de debates políticos e pressão da sociedade para que os governantes realizem os investimentos necessários. Lima finalizou sua fala reafirmando sua posição em relação à intervenção. “Fiz a intervenção, não me arrependo de ter feito e faria novamente porque nós não podemos aceitar a ideia de ter a cidade sem hospital público”, pontuou.

A íntegra da entrevista você confere AQUI. O próximo candidato a ser ouvido será Sargento Doze (PSL), que concederá entrevista nesta quinta-feira (15) às 14h30.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies