PRF orienta motoristas sobre acidentes envolvendo animais na pista

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

De janeiro para cá, a Polícia Rodoviária Federal já registrou 14 acidentes envolvendo este tipo de ocorrência

Basta apenas um segundo de descuido para o pior acontecer. Ainda mais quando se trata de pessoas ao volante. Todos anos, milhares de vidas são ceifadas nas estradas brasileiras por conta de acidentes envolvendo as mais variadas situações que vão desde a desatenção à imprudência dos motoristas. Um dos casos que mais causa acidentes é a presença de animais na pista, principalmente à noite quando a visibilidade é mais baixa.
As vacas e cavalos estão entre os animais que mais que causam acidentes graves com a perda de vidas, mas na região da Fronteira Oeste e Campanha animais silvestres como capivaras e javalis também têm sido o motivo de acidentes nos últimos anos. Já animais de pequeno porte como as raposas, o veado campeiro, tem um potencial de estrago menor nessas ocorrências.
Segundo o inspetor Muniz, chefe da delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Livramento, sempre que esses animais que fazem parte da produção pecuária, como vacas ou cavalos, causam acidentes, os proprietários são responsabilizados embora nem sempre exista a possibilidade de identificá-los imediatamente. “No caso do acidente, se o proprietário estiver no local, a gente já coloca no registro de acidente. E se é um simples recolhimento de animais que estão sobre a pista a gente já faz um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) onde a pessoa irá responder na Justiça pela não guarda desses animais que estavam sob a responsabilidade dele. A gente faz a identificação pela marca e sinal dos animais, ou os donos se apresentam voluntariamente”.
Nos casos dos recolhimentos, a PRF possui convênio com as prefeituras de Livramento e Bagé para encaminhamento dos animais apreendidos que ficam sob a custódia do munícipio, no caso de Livramento eles são levados para os campos de cooperação. As remoções de animais solto na pista podem ser feitas pela PRF em qualquer uma das rodovias da região e também dentro do perímetro urbano sendo parte do convênio com as prefeituras. “Neste caso, a solicitação tem que ser feita pela própria prefeitura da cidade”.
Em 2019, na área da Delegacia da PRF, em Sant’Ana do Livramento, que compreende os postos de Sant’Ana do Livramento, Rosário do Sul e Bagé, foram 438 ocorrências deste tipo, totalizando 2.325 animais afastados da rodovia.
Para o inspetor, é necessário que os motoristas tomem todos os cuidados possíveis como, por exemplo, cuidar a velocidade máxima nas vias, pois grande parte dos acidentes graves envolvem atropelamento de animais, com os veículos trafegando em alta velocidade acima do permitido.