Passageiros são flagrados em pé em ônibus de transporte urbano

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A ocupação máxima determinada é a ocupação dos assentos, não podendo transportar passageiros em pé

Diversos santanenses denunciaram a situação dos ônibus de algumas empresas de transporte coletivo de Livramento, fotografando o interior do coletivo, com passageiros em pé, o que fere o Decreto Estadual gerando uma grande aglomeração.
Segundo o decreto do governador Eduardo Leite, o transporte coletivo de passageiros nas zonas rural e urbana “não pode exceder à capacidade de passageiros sentados”. Isso significa o seguinte: os ônibus que circulam dentro dos municípios não poderão mais levar passageiros de pé e sentados como costumava ocorrer. O número de passageiros será restrito à quantidade de lugares. Reforçando: agora passageiro só viaja sentado.
Nas imagens enviadas pelos ouvintes da rádio RCC FM, é possível notar o descumprimento das normas estipuladas no decreto, tanto estadual quanto municipal. A reportagem conversou com João Pedro, presidente do STU (Sindicato dos Transportes Urbanos) para o contraponto desta situação.
João Pedro comentou que havia uma informação de que estava sendo transportado passageiros em pé e alguns até mesmo sentados no chão, o que não procede segundo ele: “Recebemos essa informação ainda ontem, segunda-feira, (11), e eu pessoalmente liguei para as empresas, onde todas me passaram a mesma resposta: de que não transportou e não transporta passageiros em pé e sentados no piso do coletivo. Ou seja, não procede. No momento desta imagem, o ônibus da empresa Sosal estava na Caixa d’água do Wilson e um outro veículo já aguardava os passageiros na garagem da empresa, cerca de menos de cinco minutos de distância”, conta.
“O transporte só de passageiros sentados não cobre os custos de operação das empresas”
Questionado sobre como as empresas de transporte coletivo estão enfrentando o momento, ele destaca os altos custos de operação: “O transporte só de passageiros sentados não cobre os custos de operação das empresas. A lotação do veículo é composta por passageiros sentados e em pé totalizando um numero X, ainda tem de ser reservado os idosos, então tem, em média, 36 lugares disponíveis por ônibus. Outro ponto é o que, por exemplo, a empresa Sosal fazia antes: a abertura da porta traseira para estes idosos, que no momento, não está sendo realizada, pois no tempo em que um pagante está entrando pela porta frontal, os acentos estarão quase que em sua totalidade ocupados por idosos não pagantes, então não dá para operar com um ônibus somente com cinco ou seis usuários pagantes”, completa.
De acordo com o Sindicato, as empresas foram orientadas a higienizar todos os veículos que saírem das garagens para o serviço nas ruas. A operação deve acontecer, pelo menos, duas vezes por dia. Os profissionais que possuem contato direto com o público, como cobradores e motoristas, receberam frascos com álcool em gel para que possam realizar a limpeza das mãos periodicamente.
Mesmo com todas essas ações, o STU ressalta a importância de que a população siga às medidas de prevenção. Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete, se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool, evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas e, principalmente, evitar sair de casa sem necessidade.

João Victor Montoli
joaovictor@jornalaplateia.com