Bastidores – Edis Elgarte – 18/04/2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Caixa sem movimento

Ainda não foi feito um levantamento para estimar a queda, inquestionável, na arrecadação para os cofres públicos durante o período de quarentena. O fechamento do mês de março não é representativo porque a maior parte das atividades produtivas ainda operaram normalmente antes do início do isolamento social, então abril é que permitirá uma perspectiva do comportamento da receita municipal, mas é certo que será árdua a missão das Secretarias de Fazenda e Planejamento para garantir o cumprimento dos compromissos obrigatórios da Folha de Pagamento e dos custeios nas áreas da saúde, educação e outros.
Basta observar os valores já lançados no site Transparência para vislumbrar as dificuldades. Até agora, dos pouco mais de R$ 200 milhões orçados para 2020, o Município arrecadou menos de R$ 60 milhões. Com a economia parada por conta da quarentena, a arrecadação dos cerca de R$ 160 milhões que faltam fica com certeza muito difícil.
Com certeza, o retorno de ICMS e FPM referente a abril não deverá repetir os valores recebidos em março. Por sorte, o Município já vem recebendo valores compensatórios repassados pela União. Essa ajuda será fundamental para evitar a crise que, do contrário, poderia representar inclusive o descumprimento das obrigações com a Folha.

Articulação administrativo-eleitoral

Pelo menos quatro partidos já fazem parte da grande articulação capitaneada pela própria prefeita Mari Machado com apoio substancial do MDB, na condição de parceiro de primeira hora de seu Governo. Esta semana, confirmaram participação no processo desencadeado por ela também o PSDB, agora rearticulado sob a presidência do vereador Marco Monteiro, e o PL, que também já vinha integrando o time da Administração.
O eixo central da articulação é uma composição partidária, e não de governo. Os partidos que se somam a essa caminhada passam a integrar desde já a Administração porém com proposta de buscar juntos a reeleição de Mari para a Chefia do Executivo e desenvolver um projeto de gestão por mais quatro anos.
PSB, MDB, PSDB e PL pretendem formar uma nova composição administrativa, priorizando a capacitação técnica nas indicações. Enquanto isso, o trabalho de articulação continua. Pelo menos mais um grande partido pode se integrar ao grupo nos próximos dias.

Coalizão de centro-direita avança

O cenário eleitoral desenhado pela Coluna Bastidores para as próximas eleições, com a formação de pelo menos três caminhos com concnentração das principais forças partidárias, parece começar a se concretizar. Na noite de quinta-feira, representantes do PROGRESSISTAS e do PSC, que acolheu o grupo de bolsonarianos da Fronteira, começaram a discutir mais detalhadamente a formação de uma coalizão na qual pretendem contar também com a participação do DEMOCRATAS e do REPUBLICANOS, que já foi convidado para conversar.
Segundo o líder do grupo Bolsonarianos e virtual candidato a prefeito pelo PSC, Airton Costa, o DEMOCRATAS já confirmou interesse em participar das conversas. Em nota assinada pelo próprio Airton, presidente do PSC, e pelo presidente do PROGRESSISTAS, Luiz Humberto Morel, esclarece que as conversas visam “uma aliança pluri-partidária(…) com proposta conjunta para a recuperação estrutural e administrativa e a retomada do desenvolvimento desta comunidade”.

Democracia interna

Na próxima terça, nas dependências do Clube dos Cabos e Soldados da Brigada Militar – ABAMFº, os servidores de Nível Médio da Brigada Militar terão a oportunidade de escolher um pré-candidato para representar a classe nas próximas eleições municipais. A “prévia” será realizada durante todo o dia, a partir das 8 horas, obedecendo os protocolos de isolamento e distanciamento social.
Estarão colocando seus nomes para avaliação da classe brigadiana o 2º Sargento da Reserva Vander Da Luz e o 1º Ten da Reserva André Luis Pereira, atual Diretor Presidente da Regional Livramento da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar.

Viabilidade

O empresário Jairo Zamberlan, ex-presidente da ACIL e atual diretor regional da Federasul, ainda busca ajustes na regulamentação feita através de decreto para o funcionamento do comércio durante o período de quarentena contra o contágio pelo Novo Coronavírus. Ontem, encaminhou consulta à prefeita Mari Machado a respeito do funcionamento das empresas de pequeno porte, diante da determinação de redução em 50% no número de funcionários. Zamberlan lembrou que há negócios que já funcionam com um número mínimo de pessoal, muitas vezes indispensáveis para o funcionamento mínimo da empresa, e sugeriu que se determine um número mínimo por setor em cada loja. “Simplesmente cortando pela metade, a empresa não funciona”, alertou ele. A Prefeita ficou de avaliar a sugestão.

Bastidores – Edis Elgarte – 26/09/2020

Olhar acadêmico A comunidade santanense vai poder contar com uma excelente ferramenta de acompanhamento do processo eleitoral que se inicia, regularmente, neste domingo, 17. Sob

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies