Prefeita volta atrás e proíbe atividades religiosas presenciais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

E m menos de 24 horas, a Prefeita em exercício de Sant’Ana do Livramento proibiu a realização de atividades religiosas presenciais, enquanto durar a pandemia causada pelo novo Coronavírus (Covid-19). No anúncio, a chefe do Executivo municipal embasou a sua decisão em uma medida liminar concedida pelo juiz Manoel Pedro Martins, da 6ª Vara do Distrito Federal, que exclui do decreto do presidente Jair Bolsonaro, as atividades religiosas como serviços essenciais.
Ainda na noite de quinta-feira (09), a Prefeitura oficializou o pedido realizado pela Associação dos Ministérios Evangélicos de Livramento (AMEL) de permitir a abertura das igrejas somente no domingo de Páscoa. No comunicado não foi especificado se terreiros de Umbanda e Candomblé, que também celebram a Páscoa, teriam as atividades autorizadas.
A medida foi criticada pelo padre da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, Leandro Lopes. Ao Jornal A Plateia, o sacerdote disse que a atitude do Executivo era irresponsável e que ia contra todas as recomendações que o próprio governo Mari divulgava. “Como padre, e responsável pela paróquia Nossa Senhora do Rosário, acho um contrassenso essa decisão. Vai contra tudo o que o município vinha recomendando. Estranho também que, sendo a maioria da população santanense católica, esta igreja não foi ouvida sobre este assunto”, declarou.
O padre mostrou seu descontentamento pela autorização da prefeita Mari Machado, mesmo que excepcionalmente: “É uma pena, eu vinha defendendo ela (a prefeita) até agora porque me parecia que vinha atuando bem nessa crise, mas se perdeu feio com essa questão, assim as pessoas cada vez mais vão se decepcionando com os políticos”, pondera.

Padre Leandro Lopes (Foto: Matias Moura/AP)

Revogação e nova posição

No decreto válido agora, a Prefeitura revogou o comunicado feito antes, que permitia a realização de pequenas atividades presenciais, excepcionais, apenas neste domingo de Páscoa. “…a recomendação de que as pessoas devam permanecer em suas casas”.
“Outrossim, ressalva que o governo municipal continua firme no propósito de enfrentar o Coronavírus no município de Sant’Ana do Livramento, promovendo as medidas de isolamento social propostas por autoridades médicas e pela OMS, destacando que todos são responsáveis pelos cuidados com sua própria saúde”, finalizou a nota.

Quebrando paradigmas – Eis a questão!

Sempre fui meio “fora da casinha”. Para os conservadores, uma disfuncionada precisando de ajuda psicológica; para outros, adiante do meu tempo. A história está aí