Editorial: A justiça tarda, mas não pode ser enganada!

O fato do prefeito Ico Charopen (PDT) não ter recebido, nesta semana, a notificação da Câmara de Vereadores que lhe avisava oficialmente da abertura do processo de cassação do seu mandato que está tramitando no Legislativo desde a semana passada, pode significar algumas coisas. Claro, cabe aos eleitores chegarem as suas conclusões, pois, afinal de contas, foi a maioria deles que escolheu o pedetista para comandar o Executivo municipal, ainda que não poderia imaginar o resultado, demonstrado inclusive pelo judiciário, de incompetência, ou, nas palavras de algumas ações que tramitam na Justiça Federal, de inércia. Ora, foi para isso que ele foi eleito? Para ser displicente? Com certeza, o eleitor precisa refletir. Até seria uma avaliação fácil de se fazer. A atitude de Ico com relação a essa notificação da comissão processante nada mais é mais do mesmo. O mesmo que o prefeito estava fazendo com a Justiça, por que não tentar com os vereadores, não é?! São questionamentos com algumas respostas tão óbvias, que se podia desacreditar da política, pois muitas vezes se confunde com politicagem, afinal, os homens públicos – que deveriam dar o exemplo – não estão enfrentando as situações postas pelos representantes dos eleitores. Podia ser engano, mas não é. Mesmo assim, precisa-se levantar a cabeça e pensar bem antes de apertar o “confirma” das urnas nas próximas eleições.

Grupo Aplateia