Lago Batuva deve servir de palco para festa do Dia de Iemanjá

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Cerca de 4 mil fiéis são esperados pela organização do evento

No próximo domingo, dia 2, é comemorado pela religião do candomblé o dia de Iemanjá. A orixá africana é conhecida como a “Rainha das Águas’’, por este motivo ganhou uma homenagem às margens do lago Batuva.
Há mais de uma década no local, o altar onde a sua imagem está exposta tornou-se lugar de peregrinações de fiéis, que todos os anos deixam suas velas e oferendas e fazem as suas preces, e neste ano não deve ser diferente.
De acordo com o organizador das festividades, Edson Gonçalves, é esperado um público de mais de 4 mil pessoas. “O centro de Umbanda Cabocla Araci organiza essa festa há mais de 20 anos e o público nunca baixou de 3 mil pessoas’’, comenta.
Gonçalves explicou que o número de fiéis pode aumentar por conta da grande presença das palometas na Praia das Areias Brancas, em Rosário do Sul. “Vem todo mundo pra cá. Estamos esperando bastante gente de Dom Pedrito, Quaraí, Tranqueiras, Durazno. Sempre vem bastante gente de fora’’.
Para quem comparecer no evento, está prevista uma ampla programação com uma cerimônia religiosa e homenagens à entidade. Posteriormente, no local, a celebração continua ao longo do dia. Vale lembrar que haverá também uma praça de alimentação com diversas opções para os devotos.
Antes disso, na parte da manhã, uma procissão pelas ruas da cidade deve ter início por volta das 10h da manhã com a saída de uma procissão com a imagem de Iemanjá do centro de Umbanda. A peregrinação parte da rua Ângelo Del Fabro, na vila João Souto Duarte, e percorrerá um trajeto pelas principais ruas da cidade até a chegada no lago Batuva.

Foto: Marcelo Pinto/AP

RESTAURAÇÃO DA IMAGEM

Alvo da ação de vândalos, a imagem de Iemanjá encontrava-se bastante danificada, com mãos, véu e parte do rosto quebrada, a sua pintura também precisava de um retoque. Além disso, a estrutura do altar e a passarela que ligava o gramado à imagem, antes rodeada pelas águas do lago, também sofreu com o tempo e a depredação.
Quanto a isso, os umbandistas buscaram apoio junto ao Departamento de Cultura, extinta Secretaria Municipal de Cultura, para a revitalização do espaço. Gonçalves informou que em um primeiro momento, será feito um trabalho mais superficial, para que a imagem esteja em um bom estado no dia da festa.
Já nos próximos meses, está previsto uma restauração mais completa junto com uma reestruturação no local. Na tarde desta sexta-feira, dia 31, aconteceu uma limpeza no entorno da imagem, além de pequenos reparos pontuais com gesso.