Estância São Miguel do Sarandy realiza curso de aprimoramento em equinocultura

A atividade denominada “Charlando Equitación III – Iniciação de potros e Doma” foi direcionada à equipe de trabalho da propriedade e entusiastas da criação de cavalos

No clarear da manhã do dia 13 de janeiro, olhos brilhavam curiosos e atentos na Estância São Miguel do Sarandy. Cavalos e cavaleiros reunidos com o mesmo objetivo: formar novos vínculos de amizade e confiança.

O propósito do curso “Charlando Equitación III – Iniciação de potros e Doma” foi capacitar a equipe da fazenda e parceiros entusiastas da boa relação com cavalo, gente que busca, depende e valoriza a doma bem feita, em todas suas etapas.

Para a Estância São Miguel do Sarandy, o cavalo simboliza coragem e prosperidade, assim surge a marca Sarandy Cavalos do Sul, reconhecendo e exaltando seu amor e admiração por este animal excepcional, dando espaço para que cada vez mais se possa conhecer e conviver neste meio, de pessoas e cavalos que sabem e gostam do que fazem.

Para o idealizador da atividade e um dos responsáveis pela Sarandy Cavalos do Sul, Bento Brochado, esta foi uma oportunidade de adquirir mais conhecimentos e proporcionar uma maior interação entre o homem e o cavalo. “Acreditamos que a capacitação é determinante para obtermos bons resultados e para isso buscamos instrutores com conhecimento e experiência nesta arte. Apadrinhados por Alberto Gazzapina, Instrutor do curso de Doma Racional pelo SENAR-RS, há mais de 20 anos, e por Patrício Muñoz Barrios, reconhecido etólogo equino chileno, começamos nossa jornada. “Compreendemos como funciona o comportamento do cavalo e sua linguagem corporal, o que transmite com seus movimentos e olhares. A evolução da doma surpreende quando entendemos esta comunicação. Usá-la como estímulo positivo facilita o aprendizado e aumenta o grau de confiança do conjunto homem-cavalo. A cada dia uma conquista e a certeza de que vale a pena. A sequência do trabalho é fundamental para chegarmos onde desejamos. A história conta que o mundo não seria o mesmo sem a existência do cavalo, isto nos encoraja a seguirmos, reconhecendo que nossa cultura e tradição depende desta saudável relação” disse.

Dificuldades do homem do campo

O produtor rural destaca ainda que entre as principais dificuldades enfrentadas por quem produz está a questão do abigeato. Somente nesta semana foram furtadas 40 novilhas da propriedade de sua família. “Gostaríamos de só contar histórias como esta, de desenvolvimento e alegrias que o campo nos proporciona, mas a realidade nos impacta e repartimos aqui nosso repúdio e a tristeza de sermos, mais uma vez, afrontados e violados pelo abigeato, este crime que segue desafiando produtores, o mercado e os Órgãos responsáveis. Agradecemos a mobilização e sabemos que juntos somos mais fortes no combate deste problema”.

Matias Moura | contatomatiasmoura@hotmail.com

Grupo Aplateia