Todos contra o abigeato

Reunião na Associação Rural debateu ideias para tentar conter o avanço da criminalidade no campo

Na edição passada do Jornal A Plateia, a reportagem intitulada “O Campo Pede Socorro” publicou alguns depoimentos de produtores rurais do município que vêm sofrendo com os ataques frequentes de criminosos, que além de furtar animais do campo, acabam provocando verdadeiro terror no interior da campanha.

A principal proposta da reunião foi sobre a criação de um sistema de trabalho integrado, onde os diferentes órgãos possam manter uma comunicação e realizar ações com agilidade. Além disso, o Sindicato Rural anunciou que, através de um projeto com o banco Sicredi, irá doar drones para as polícias Civil e Militar poderem utilizar no monitoramento da área rural. (Foto: Matias Moura/Ap)

A reportagem ganhou grande repercussão tamanha a importância dos fatos nela relatada, tanto que a resposta foi imediata do setor. Após tomar conhecimento dos fatos apresentados na matéria, a Associação e Sindicato Rural, como representante da classe, convocou uma reunião que aconteceu na manhã da sexta-feira (17), nas dependências do Parque Augusto Pereira de Carvalho. Participaram do encontro representantes da Polícia Civil, Brigada Militar, Inspetoria de Defesa Agropecuária, Serviço de Inspeção Municipal, Secretaria de Agricultura e produtores que foram lesados recentemente com uma grande quantia de animais furtados.

A Diretoria do Sindicato Rural tentará uma audiência com as secretarias de Segurança e de Agricultura do E–stado. Após isso, uma nova reunião será marcada para alinhar os próximos passos. (Foto: Matias Moura/Ap)

Pelo menos três produtores, representando localidade distintas, Ibicuí, Itaquatiá e Galpões participaram dando seu depoimento sobre a dificuldade e o risco de se produzir no interior do município. Um deles destacou que numa única ação foram furtadas 120 ovelhas trazendo um prejuízo enorme. Já o outro destacou que, simplesmente, teve que acabar com o rebanho de 700 ovelhas por conta dos furtos constantes.
A grande preocupação do setor que ficou evidenciada nas falas do encontro é que os criminosos estão agindo de forma cada vez mais audaciosa, alguns casos de forma violenta, invadindo residências, inclusive.
Temendo pela segurança dos cidadãos santanenses e de mais furtos de animais, o presidente da Associação e Sindicato Rural, Luís Carlos D’Auria Nunes disse que a entidade irá elaborar um dossiê contendo todas as informações repassadas pelos produtores e também pelos representantes da Brigada Militar e da Policia Civil, para encaminhar o material para o Governo Estadual pedindo mais investimentos na área da segurança. Segundo o presidente, a diretoria da FARSUL (Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul) também se colocou à disposição para auxiliar na intermediação com o Governo Estadual, uma vez que a entidade possui grande representatividade. “Nós revolvemos realizar esse primeiro encontro com representantes de todos os órgãos envolvidos nesta situação para que a gente possa levar um projeto maior e mais amplo que será levado a Porto Alegre para o Secretário da Agricultura, para o Secretário de Segurança e o vice-governador do estado, Randolfo Vieira Junior (PTB). Nesta reunião, nós queríamos saber as deficiências dos órgãos que estão operando aqui que, embora estejam fazendo um esforço enorme e com resultado, ainda possuem uma certa deficiência em relação ao número de abigeatos ocorridos aqui. Hoje, infelizmente, nós não temos dados concretos por isso nós precisamos remanejar este atual sistema de enfrentamento ao abigeato”.

Quando o assunto é abigeato, o município não possui dados reais, pois muitos produtores não têm o costume de registrar Boletim de Ocorrência. (Foto: Matias Moura/Ap)

Entre as ações emergenciais que já foram acordadas pela diretoria da Associação Rural em parceria com o SICREDI é a doação de dois drones para monitoramento de áreas, um para a Brigada Militar e outro para a Polícia Civil.

O presidente D’Auria também falou sobre a dificuldade do registro de ocorrência, e para isso a entidade irá muito em breve disponibilizar uma maneira mais ágil para o produtor efetuar o registro de ocorrência. Ou seja, o produtor irá encaminhar as informações do furto, e um funcionário da Associação ficará encarregado de fazer a ocorrência. Respondendo pelo comando do 2º RPMon, interinamente, Major Silveira, destaca que a o encontro foi muito oportuno para uma troca de informações junto aos produtores. Durante a sua fala ele destacou as operações que são realizadas como a Avante Rural e também a atuação da Patrulha Rural que trabalha de forma efetiva no policiamento nas áreas do interior. “Essa reunião serviu para colhermos informações com os produtores, para ver as dificuldades encontradas por eles e, principalmente, para reforçar uma forma de ação integrada para um combate mais efetivo. O presidente foi muito feliz por ter convidado órgãos estaduais, federais e locais para esta reunião e com esse trabalho integrado em 2020 nós vamos poder atender melhor o homem do campo”, encerrou.

Matias Moura | contatomatiasmoura@hotmail.com

Grupo Aplateia