Homem é preso e confessa morte de trans com uma facada em Santa Maria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Prisão temporária foi decretada pela Justiça, após pedido da Polícia Civil. Delegado diz que homem, de 28 anos, alegou ter agido em legítima defesa.

Um homem de 28 anos foi preso temporariamente na manhã deste sábado (14) em Santa Maria pela morte da transexual Verônica de Oliveira, 40 anos, atingida por uma facada no abdome na madrugada de quinta-feira (12). Segundo o delegado responsável pelo caso, Gabriel Zanella, ele confessou o crime em depoimento após se apresentar na delegacia e alegou ter agido em legítima defesa.

sepultamento da vítima ocorreu na sexta-feira (13). “Mãe Loira”, como era conhecida, foi enterrada com uma bandeira da causa LGBTQI+ envolta ao caixão. Ela era reconhecida na comunidade pelo trabalho em favor das pessoas transgêneros.

De acordo com investigação policial, Verônica foi chamada pelo homem, que desejava realizar um programa sexual com alguma integrante do grupo que estava na região, perto da esquina das avenidas Borges de Medeiros e Presidente Vargas. Ela e as demais não concordaram com o valor oferecido.

“Iniciou-se uma discussão com xingamentos mútuos, envolvendo, sobretudo, o investigado e a vítima. Em um dado momento, o homem foi até o interior do automóvel, sentou no banco do motorista e tentou esconder uma arma branca (faca). Nesta ocasião, ele mudou repentinamente de comportamento, tendo parado de proferir xingamentos. Quando iniciou a saída do local com o veículo, desferiu um golpe de faca no abdome da vítima, que estava parada na rua”, descreve o delegado.

Verônica chegou a ser socorrida, mas morreu na manhã do mesmo dia no hospital.

A defesa do suspeito entrou em contato com a Polícia Civil na noite de sexta-feira (13). A prisão ocorreu após o homem se apresentar, e o carro dele também foi apreendido.

O delegado explica que a prisão é temporária por “opção técnica diante do quadro probatório.” O crime investigado é de homicídio.

O preso tem antecedentes policiais por crime ambiental. A faca que ele usou no crime foi jogada fora, conforme ele relatou no depoimento. Após ser ouvido, foi encaminhado à Penitenciária Estadual de Santa Maria.

Em setembro, outras duas trans foram assassinadas na cidade.

“Os três homicídios de transexuais ocorridos em 2019 em Santa Maria foram rapidamente esclarecidos pela Polícia Civil. A motivação dos crimes não está relacionada à homofobia e à transfobia. A prisão de hoje [sábado, 14] contabiliza quatro indivíduos presos pelos citados homicídios. Os outros três permanecem recolhidos no sistema prisional”, comenta o delegado.

Fonte: G1/RS

 Foto: Polícia Civil / Divulgação / Reprodução / RBS TV