Santanense participará da Bienal Black Brazil Art

Evento acontece em Florianópolis

Começou, nesta quinta-feira (7), em Florianópolis, a primeira edição da Bienal Black Brazil Art. Com o tema ‘Mulheres (in)Visíveis’, o evento traz obras de 150 artistas plásticos de todo o país, incluindo duas artes de Gustavo Rodrigo, artista santanense.
O acervo exposto reúne pinturas, esculturas, vídeo arte e instalações. A programação prevê ainda mesas de debate, intervenções e performances.
Com curadoria da museóloga Patrícia Brito, a bienal oferece uma visão geral da produção artística feminina, com recorte especial para a produção de mulheres negras, e destaca trabalhos figurativos, narrativas sobre dor, violências, feminismo e a participação do grupo nas artes visuais.
Para Gustavo, a sensação de participar de um evento como esse é uma realização de um sonho: “Participar da Black Brazil Art Brasil é como um início de um grande sonho. Desenho desde pequeno e gosto de arte. Eu, nascido em Livramento, nunca imaginaria ter obras minhas selecionadas para um evento desse tamanho e de proporção cultural imensa como a bienal Black Brazil Art que traz como tema um assunto de uma importância gigantesca em questão arte e história. São poucas obras com a temática negra e feminina e eu ser selecionado por um júri de curador onde participaram como jurados Patrícia Brito Knecht, curadora, museóloga, historiadora (Brasil) e Allison Deon Roberts, curator of afrophylia (Canadá). Então, estou muito feliz de ter sido escolhido para fazer parte desse evento representando a arte de um santanense”, comenta.
A Bienal Black Brazil Art representa não só a unificação de ideias em torno da temática da invisibilidade da mulher como traz para o debate a questão da arte negra e a real representatividade dessa arte nos espaços culturais. “Diante dessas e de outras séries de ausências que as mulheres, principalmente as mulheres negras, enfrentam, esforços feministas são realizados para preencher esses vazios aparentes por meio de tentativas de visibilizar mulheres artistas. Buscamos mostrar a força e o potencial criativo de mulheres anônimas ou artistas que tiram estas mulheres do anonimato”, conclui a curadora Patrícia Brito Knecht.
O evento terá programação na Galeria de Arte do Mercado Público entre 8 de novembro e 14 de dezembro; No Museu Histórico de Santa Catarina, de 8 de novembro a 1º de dezembro e no Teatro da Ubro, no dia 27 de novembro.

João Victor Montoli
Joao@jornalaplateia.com

Grupo Aplateia

Adicionar Comentário