Motorista argentino morre em acidente na BR-158

Reportagem: João Victor Montoli

Na terça-feira (17), a BR-158 foi mais uma vez palco de acidente envolvendo vítima fatal. Por volta de 21h30 de terça-feira, no km 499 da BR 158, em Sant’Ana do Livramento, próximo à ponte sobre o arroio Conceição, cerca de 25 quilômetros de Rosário do Sul, uma caminhonete Ford Ranger de cor branca, com placas AD 584 OD, da Argentina, colidiu transversalmente com uma carreta com placas MAK–4359,de Itaqui, que saía de uma vicinal e acessava a rodovia.

Duas guarnições do 10º Batalhão de Bombeiros Militares foram deslocadas até o local para prestar socorro. Ao chegarem no local foi constatada a morte do condutor da Ranger e a equipe de resgate com ambulância foi orientada a retornar ao batalhão. Os bombeiros, que estavam com seu caminhão de resgate, ficaram até o encerramento das ações do Instituto Geral de Periciais (IGP) e Polícia Civil.

O condutor do veículo estrangeiro, um homem argentino de iniciais G.R.P, de 59 anos, que viajava sozinho, com a força do impacto acabou morrendo no local. O condutor da carreta de iniciais P.R.C, de 32 anos, motorista profissional há 11 anos não se feriu. Ele foi submetido ao teste do etilômetro que não apontou a ingestão de álcool.

O motorista do caminhão relatou que tudo aconteceu muito rápido: “Eu estava preparado para ingressar na BR-158 em direção ao trevo da Faxina, vi os faróis muito distante e iniciei o ingresso, quando estava terminando a manobra de ingressar somente ouvi um estouro na minha carreta, imediatamente desci e vi que se tratava de um acidente, busquei algumas cintas e cordas que tinha para tentar remover a camionete debaixo da carreta. Até mesmo ataquei um outro caminhoneiro que estava passando e tentamos puxar a Ranger mas nosso esforço não adiantou, o impacto foi tão forte que a camionete nem se movimentava. Tentei também abrir a porta para socorrer a vítima mas ela não respondia aos meus chamados”, conta P.R.C.

A carreta estava carregada com mais de 30 toneladas de arroz e o caminhão iria em direção ao porto de Rio Grande. O trânsito na localidade ficou em meia pista, poucos veículos transitavam naquele horário, o que não gerou engarrafamentos. Após algumas horas de trabalho da equipe do IGP e Polícia Civil na investigação, aproximadamente sete horas após o acidente, a BR-158 teve sua liberação total.

Grupo Aplateia