Projeto de fomento à ovinocultura

Segundo o presidente da Associação Santanense de Ovinocultores, Jair Menezes, será apresentado ao Secretário Estadual de Agricultura durante a Expointer, um programa completo para a construção do primeiro polo de produção de leite de ovinos no país

Um recente levantamento divulgado pelo coordenador da Comissão de Ovinos da Farsul, (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul) André Camozzatto, aponta que em cinco anos o rebanho ovino do Estado diminuiu drasticamente nos 497 municípios pesquisados. Casualmente, Sant’Ana do Livramento, que recentemente foi reconhecida com o título de Capital Nacional da Ovelha, é o município que obteve a maior diminuição entre todos. Segundo o relatório em 2014, Livramento tinha 448.635 cabeças, já em 2019 o número baixou para 316.224 cabeças, uma diminuição de -132.116 animais. O segundo município foi Alegrete que em apenas 5 anos registrou um decréscimo de -80.964 ovinos em seu rebanho passando de 283.061 para 202.097; seguido por Rosário do Sul que em 2014 possuía 172.187 cabeças e em 2019 baixou para 111.499, representando -60.688 ovinos em seu rebanho.
Os motivos, apontados por especialistas que vem discutindo o atual mercado da ovelha, são os mais variados, entre eles a falta de estímulo à cadeia produtiva, o abigeato, a morte de animais em consequência de ataques de javalis e cães selvagens e, principalmente, a desvalorização do produto na hora da venda. Com tantos fatores assim colocados em jogo e muitas pessoas abandonando a ovinocultura projetos de valorização e incentivo estão sendo cada vez mais discutidos. A crescente valorização e procura por carne ovina no mercado, o artesanato em lã e a busca por outros horizontes têm alguns produtores que veem na escassez do produto uma oportunidade de fomentar o desenvolvimento dessa cadeia produtiva incentivando novos criadores e ideias inovadoras.
Uma dessas alternativas para os produtores aumentarem a sua renda, mantendo os animais dentro de suas propriedades e produzindo mais matéria prima, vem do esforço conjunto da Associação Santanense de Ovinocultores, Secretaria Municipal de Agricultura, curso de agronomia da UERGs e UNIPAMPA que estão desenvolvendo há praticamente 3 anos pesquisas referentes à produção de leite ovino que tem sido muito utilizado principalmente na produção de queijos artesanais e pode ser uma ótima alternativa para os pequenos e médios produtores complementarem a sua renda.
Segundo zootecnista Jair Menezes, vice-presidente da Associação Rural, este é um projeto totalmente viável e que pode ajudar a reverter essa diminuição do nosso rebanho. “Pretendemos, agora, durante a Expointer, juntamente com o professor Leonardo Menezes e o engenheiro agrônomo da prefeitura Alex Gomes, entregar esta pesquisa em mãos para o secretário Covati Filho, com objetivo de buscar apoio para a criação de um polo de produção de leite ovino aqui no nosso município. E a boa notícia é que a área para construção deste polo nós já conseguimos por meio da Prefeitura que nos cedeu parte do quarentenário para a implementação deste e de outros projetos referentes à ovinocultura. Esperamos que o secretário veja com bons olhos e assim pense também a se engajar neste projeto. Talvez, muito em breve, possamos ter o primeiro polo de produção de leite ovino do país, assim como já existem outros como é o caso da carne, por exemplo”, comemorou.
Sobre a questão da diminuição no rebanho, Menezes destaca que é necessário se criar mais políticas públicas de incentivo para os produtores e que o mercado está aberto, pois, segundo ele, este é um excelente momento para investimentos na ovinocultura. “Os compradores estão pagando até R$8,00 reais o kg do cordeiro, este é um ótimo negócio, altamente rentável, nunca a carne de ovelha foi tão valorizada. Então, o momento de investir é agora, na pecuária não existe outro negócio que esteja pagando tão bem. Estamos muito otimistas”. Segundo Jair, a população ovina atual do município gira em torno de 297.704, conforme dados atuais da inspetoria veterinária.
VII Seminário Ovinos da Campanha
No dia 06 de setembro, a Associação e Sindicato Rural de Livramento realiza a 7ª edição do Seminário Ovinos da Campanha, juntamente com o Juntos Para Competir, Prefeitura Municipal e Intendência de Rivera.
Neste ano, o Seminário agrega à sua programação o II Foro Internacional de Ovinos, evento que contará com a participação de entidades e técnicos uruguaios.
Interessados em participar devem fazer a sua inscrição até o dia 05 de setembro. O valor da inscrição é 1kg de alimento não perecível.
A programação completa, assim como o link para fazer a inscrição, está disponível na página do Sindicato Rural no Facebook: www.facebook.com/RuraldeLivramento.

Grupo Aplateia