“Isso é tortura psicológica” diz servidora pública concursada ao ser substituída por estagiário

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Sueli Torres da Silva diz tomar calmantes para suportar a situação que passou

 

Durante o programa da Rádio RCC FM (Boa tarde cidade) desta segunda, a servidora pública concursada, Sueli da Silva afirmou o que havia dito antes com relação ao seu afastamento da Biblioteca Pública Municipal de Livramento. “isto é tortura psicológica, estou indignada. Vão contratar estagiários para o meu lugar. Já tomei calmantes e antidepressivos” afirmou.

Sueli e mais duas colegas que são concursadas há 25 anos e eram originalmente lotadas na Secretaria de Educação, estavam há anos trabalhando pela Pasta da Cultura. Nesta segunda elas foram colocadas em disponibilidade e no seu lugar o Secretário de Cultura colocará estagiárias da área de educação e pedagogia.

Sobre o caso, o secretário Luiz Arrieta disse que está fazendo um planejamento na secretaria e que as funcionárias não teriam apresentando bons resultados na avaliação e por isso foram colocadas à disposição da sua pasta de origem. “Estamos fazendo um trabalho aprofundado e consciente na Secretaria, estamos buscando por melhores resultados e um trabalho eficiente” e foi sob esta justificativa que o secretário também confirmou a contratação de uma bibliotecária da cidade de Dom Pedrito para assumir a Biblioteca.

Fernando Linhares prometeu que o caso das três servidoras será revisto nesta terça-feira e que elas foram orientadas a aguardar em casa apenas nesta segunda já que o expediente estava na metade. Perguntado sobre contratações de estagiários e justificativas das trocas de servidores, ele disse que não saberia responder. Sueli diz que ouviu o contrário e que, segundo ela, o secretário ligaria quando tivesse alguma novidade.

O caso também repercutiu na Câmara de Vereadores e segundo o vereador Melado (Lídio Mendes) muitos funcionários de escolas também foram afastados. O vereador Itacir também conformou que a lista é grande e que o caso merece atenção. O vereador Aquilies e Nilo foram enfáticos e disseram que este tipo de denúncia deve ser apurada.

Sueli disse ainda que foi obrigada a limpar o chão da Biblioteca com espátulas e considerou isso como humilhação. “Tenho prótese na mão esquerda e tive que limpar o chão com espátula por causa do secretário”, falou.

Entenda o caso:

Na manhã desta segunda-feira (16) a funcionária pública, concursada há 25 anos na Prefeitura de Livramento procurou a reportagem do Jornal A Plateia para fazer uma denúncia grave. Segundo Sueli Torres da Silva, 53 anos de idade, ela foi colocada em “disponibilidade” pela Secretaria de Cultura e ficará sem exercer nenhuma função laboral, contudo, continuará a receber seus vencimentos como servidora pública, sem trabalhar. Segundo a funcionária esta é uma manobra para que a Prefeitura contrate CCs, segundo o Decreto de Calamidade publicado na semana anterior.

A Denúncia:

Sueli disse em entrevista que sua secretaria de origem é a Pasta da Educação, mas que há muitos anos, quando foi criada a Secretaria de Cultura ela foi lotada para esta nova secretaria e ficou trabalhando na Biblioteca Pública Municipal, na Rua Sete de Setembro. Na última sexta-feira (dia 13) quando deixava o trabalho no final do expediente recebeu um documento dando conta que seu trabalho na Biblioteca não era mais necessário e que ela deveria se apresentar na segunda-feira (16) hoje, na Secretaria de Educação, juntamente com outras duas colegas.

Sueli e mais duas colegas que estavam trabalhando na Biblioteca Municipal e são “originalmente” concursadas pela Secretaria de Educação procuraram a secretária Maria Regina nesta manhã (16), mas, segundo Sueli, ouviram da secretária que elas não eram necessárias lá, porque toda a secretaria estava preenchida (já havia pessoal suficiente) e não havia um serviço que elas pudessem ocupar. Sueli contou que foi acompanhada da secretária Maria Regina e das duas outras colegas até à Prefeitura para uma reunião com o secretário de Administração, Fernando Linhares e que a situação foi exposta. Sueli ouviu ao final da reunião que não poderia voltar para a Biblioteca (pois segundo documento encaminhado pelo secretário de Cultura elas deveriam voltar para a Educação) e como na secretaria de educação não há trabalho ou tarefas “sobrando” que elas possam desempenhar, ela e as duas outras colegas ficariam em DISPONIBILIDADE  e que poderiam ir para casa, mas que teriam seus salários pagos no final do mês e o “ponto” seria assinado.

Sueli acredita que esta é uma manobra para que a Biblioteca Municipal fique sem funcionários, e que a prefeitura contrate pessoas em caráter de urgência. “Sou concursada, trabalho há 25 no serviço público e é uma vergonha o que estão fazendo, não admito  isso, quero ganhar meu dinheiro, mas quero trabalhar e não posso admitir isso, me mandaram para casa e disseram que meu ponto seria assinado, mesmo que eu não trabalhasse, tudo isso para contratar pessoas deles, para as eleições. Já contrataram uma bibliotecária de Dom Pedrito e colocaram a gente em disponibilidade”, desabafou.

Sueli disse que terminada a reunião na Prefeitura ficou chocada e que a primeira coisa que pensou foi em procurar o Jornal e expor esta situação: “estão tirando os funcionários antigos para contratar gente nova, pessoal deles, e a gente tem que ficar calado, mas eu não, isso é absurdo”, falou.

A Redação fez contato com o Secretário de Administração, Fernando Linhares que confirmou que as funcionárias estão em “disponibilidade”, mas afirmou que não poderia revelar o teor do Memorando da Secretaria de Cultura que apontaria os motivos para o afastamento das servidoras da Biblioteca Pública. Fernando disse que fez apenas os trâmites administrativos e que as servidoras devem procurar suas lotações originárias.

A Redação também tentou contato com o Secretário de Cultura, Luiz Arrieta, mas ele não atendeu o celular e não estava na Secretaria. Segundo telefonista da Pasta, ele estaria em uma reunião no Planejamento.

Confira o vídeo da entrevista:

Boa tarde Cidade na RCC FM.

Publicado por Jornal A Plateia Livramento em Segunda-feira, 16 de julho de 2018

SERVIDORA SE EMOCIONOU AO FALAR SOBRE O CASO
SERVIDORA DURANTE ENTREVISTA NESTA SEGUNDA

Educação na pandemia

Por: Mariela Perez Elguy – Docente do Senac Santana do Livramento A educação vem sofrendo mudanças significativas nos últimos tempos, levando cada vez mais o

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e entregar uma melhor experiência de navegação para você, além de recomendar conteúdos do seu interesse.
Saiba mais em Política de Privacidade

ACEITAR
Aviso de cookies