dom, 14 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Estradas danificadas impedem acesso a escolas rurais em Livramento

Secretária de Educação relata dificuldades de acesso a 15 escolas rurais e aguarda resolução do Conselho Municipal para flexibilização do calendário escolar
foto ilustrativa (Foto: Matias Moura/AP)

As recentes chuvas intensas agravaram a situação, já precária, das estradas que dão acesso às escolas rurais de Livramento. Das 19 escolas na zona rural, 15 estão enfrentando dificuldades de acesso. Em algumas dessas instituições, a interrupção do transporte é total, impossibilitando a chegada de alunos e professores. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Rádio RCC, nesta sexta-feira (21), a Secretária Municipal de Educação, Elis Duarte, contou detalhes preocupantes sobre essa situação.

“A situação das nossas escolas, que já não é boa, a cada chuva fica mais difícil”, relatou Elis Duarte. Ela destacou que o fluxo intenso de caminhões pesados, utilizados para escoar a produção agrícola, contribui significativamente para a deterioração das estradas. “O peso desses caminhões, alguns com 60 toneladas, é muito considerável, e acaba estragando mais as estradas, mas os produtores precisam escoar”, acrescentou.

Para tentar minimizar os danos, a Secretaria de Agricultura recebeu um britador na última quinta-feira (20), o que deve ajudar na manutenção das estradas. No entanto, a situação dos alunos da zona rural permanece crítica. “Têm escolas que ninguém consegue ir e esse dia tem que ser recuperado, mas nas escolas onde alguns não conseguem ir, o dia letivo é validado, e os alunos que não conseguiram chegar saem prejudicados”, explicou Duarte. Isso força os professores a revisarem conteúdos para alunos que perderam aulas, atrasando o progresso de toda a turma.

Elis Duarte enfatizou que, apesar das orientações do Conselho Nacional de Educação e do Ministério da Educação, Livramento segue um sistema municipal de educação, que determina as diretrizes a serem seguidas. Em novembro de 2023, foi emitido um decreto municipal que permite a flexibilização do calendário escolar, caso necessário. A Secretaria de Educação já solicitou ao Conselho Municipal de Educação a flexibilização dos 200 dias letivos em 2024 e a autorização para aulas não presenciais, mas ainda aguarda uma resolução.

“Estamos no aguardo dessa resolução. Quando a resolução chegar até nós, orientaremos as escolas sobre como proceder e cada escola cria seu plano de ação (…) Hoje, muitos alunos têm acesso à internet, e nossos professores estão disponíveis para passar atividades e tirar dúvidas, mas enquanto não tivermos uma orientação do conselho, não conseguiremos fazer isso”, finalizou Duarte.

A falta de uma resposta rápida do Conselho Municipal de Educação, que não inclui representantes de pais em sua composição, tem gerado insatisfação. A documentação solicitando a flexibilização do calendário foi enviada ao conselho em maio, há quase um mês. Enquanto aguardam a decisão, alunos que não conseguem ir às aulas ficam em casa sem suporte educacional.

Germano Rigotto

Morning Express

🇧🇷RESUMO-002☀️☀️☀️ ✅ NOTÍCIAS DO DIA – ANO 8 n° 2793 Dia 13 de Julho de 2024, Sábado DATAS COMEMORATIVAS Dia do Cantor Dia dos Compositores e Cantores Sertanejos Dia do Engenheiro de Saneamento Dia Mundial do Rock TEMPERATURA E INDICADORES FINANCEIROS ⛅ Mín 23° Máx 34° (Macapá-AP) 💵 Dólar Com: ⬇️ 0,2% R$ 5,43 💶 Euro: ⬆️ 0,18% R$ 5,92