qui, 11 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 06 e 07.07.24
Aplateia Digital | 06 e 07.07.24

Última Edição

Rodrigo Lorenzoni apresenta plano para a recuperação da economia do RS

O deputado Rodrigo Lorenzoni protocolou no Sistema Eletrônico de Informações do governo, na manhã desta sexta-feira (17), ofício em que apresenta ao governador Eduardo Leite um “Programa de Recuperação da Economia do Rio Grande do Sul”,  após a catástrofe de maio de 2024.

Para estruturar o programa, o presidente das frentes parlamentares da Liberdade Econômica e do Livre Mercado, levou em conta que a grave situação do RS hoje é diferente da enfrentada na pandemia. “Além da redução da atividade econômica, agora as empresas perderam estoques, maquinários e estruturas físicas. Muitas delas ainda estão pagando financiamentos feitos após a pandemia ou após as enchentes que tivemos no ano passado. Então, esse é um plano de socorro econômico necessário para a manutenção tanto de empresas, quanto dos empregos”, explica Rodrigo.

Medidas efetivas

O Plano foi dividido em quatro eixos: Medidas de suspensão de tributos e proteção de incentivos fiscais; Medidas de disponibilização de crédito; Medidas para manter empregos e auxiliar famílias na reconstrução de seus lares; e Medidas para recuperar a infraestrutura e mitigar os efeitos de novos eventos climáticos.

De acordo com Rodrigo Lorenzoni, esses quatro eixos priorizam o alívio imediato, a reconstrução, a proteção social e a restauração e a prevenção. “Nosso objetivo é restabelecer a normalidade,  promover a recuperação econômica e assegurar a resiliência futura do nosso Estado. Estamos propondo medidas efetivas que vão alem de mitigar os danos dessa catástrofe. Vamos fortalecer nossa economia e preparar o Rio Grande do Sul para enfrentar desafios futuros com maior capacidade de resposta e adaptabilidade”.

O Programa de Recuperação da Economia do RS é um plano inicial que poderá ser aperfeiçoado, na medida em que receber contribuições encaminhadas por parlamentares, órgãos governamentais e outras entidades, além das que já estão mencionadas no documento.

Foto Rodrigo Savedra