dom, 21 de abril de 2024

Variedade Aplateia | 20 e 21.04.24

“Maior roubalheira dos últimos tempos”, denuncia vereador sobre Campereada

Enrique Civeira disse que entregará material comprobatório de irregularidades ao Ministério Público
Vereador Enrique Civeira diz que denunciará ao MP prestação de contas da Campereada

Fortes. Isto é o mínimo que se pode dizer das declarações do vereador Enrique Civeira (PRD) durante a sua fala na sessão desta segunda-feira (25). O parlamentar fez uma grave denúncia sobre a prestação de contas da Campereada 2023. Ele chegou a afirmar que o evento foi “a maior roubalheira dos últimos tempos”.

Em um dossiê levado à Tribuna da Câmara, Enrique apontou supostas notas em duplicidade, suposto áudio de um dos organizadores “dizendo que tinha dado R$ 60 mil para comprar notas para a Prefeitura, porque eles precisavam de notas” e afirmou: “É roubo”.

Segundo o vereador, pela prestação de contas da Associação Comercial e Industrial de Sant’Ana do Livramento (ACIL), apoiadora do evento, diz que a estimativa era de 60 mil participantes, porém chegaram à marca de 80 mil. Já a prestação de contas da Comissão, apresenta que passaram apenas de 13.500 pessoas. Diante disso o parlamentar questionou: “E o dinheiro dos ingressos?”

Ainda na sua fala, Enrique disse que a prestação de contas demonstra que 150 microempresas compraram o espaço para expor seus produtos na Campereada. “De 150, vocês sabem quantos recibos tem a prestação de contas? 33”! Questionou na medida em que ele mesmo respondeu. Ele ainda denunciou que o recibo “número cinco” aparece em duplicidade, ou seja, aparece duas vezes e que, além disso, algumas notas não têm valor fiscal. “Membros da Comissão Organizadora fazendo Pix para as empresas, não abriram conta bancária para a Campereada. Pegaram dinheiro vivo”, complementou.

“Sabe por que as campereadas deixam a secretária tão nervosa? Porque muito em breve, ela vai ter que olhar no meu olho, no olho do promotor, no olho do juiz”, declarou Civeira anunciando que entregará o material ao Ministério Público (MP) na próxima semana.

CONTRAPONTO

Procurada pelo Jornal A Plateia, a secretária municipal de Cultura, Sandra Pontes, afirmou que não está no município e que não tem conhecimento das acusações do vereador. Ela disse que quando chegar em Sant’Ana do Livramento consultará a sua assessoria jurídica a fim de ter orientação sobre os procedimentos a serem adotados. “Se ele falou, ele vai ter que provar”, disse Sandra, complementando que, se necessário, apresentará sem problemas os esclarecimentos ao Ministério Público.

Até quando mulheres serão mortas por serem mulheres?

Revoltante. Esta é uma das palavras que pode ser utilizada para adjetivar os casos de feminicídios que estão acontecendo na Fronteira “da Paz”. Onde está a sociedade quando um crime desses acontece? Sim, sociedade. Apesar dos territórios, sejam eles brasileiro ou uruguaio, terem por dever garantir a segurança dos seus cidadãos, todos que fazem parte da comunidade têm uma parcela