ter, 21 de maio de 2024

Variedades Digital | 18 e 19.05.24

Antiga rodoviária e ruínas do Cinema Colombo têm solução?

Quando se fala em estação rodoviária em Livramento, lembro logo das conversas com o empresário Juarez Lezama. Seu Juarez, hoje com 83 anos, testemunhou os mais de 80 anos que sua família esteve administrando esse serviço em nossa cidade.

Seu Lezama, sempre com espírito empreendedor, semana passada conversou comigo, segundo ele, continua sendo procurado por políticos, e como ele mesmo diz “recebo todos”, afinal todos querem ver o prédio, que ao longo de sua vida recebeu investimentos, que o tornaram um exemplo arquitetônico, obra do arquiteto uruguaio Alberto Brizolar.

Ora, para quem não sabe, a primeira estação rodoviária foi fundada em 1943, na rua João Pessoa em frente à Praça General Flores da Cunha (a nossa conhecida Praça dos Cachorros) por Ermínio Jaques Lezama e Cacilda Lezama. De 1956 até 1969, a rodoviária esteve na esquina da rua Silveira Martins com Vasco Alves, dali mudou-se para o seu último endereço, pois em 1969, a estação passou a operar na rua Salgado Filho esquina com Vasco Alves até 2022. De lá para cá, a obra é visitada e fotografada por turistas diariamente. Com desenho arquitetônico que chama a atenção e sua ótima localização, tem a possibilidade de diversos empreendimentos. Porém, a pergunta que não quer calar: será que algum dia, esse prédio abrigará um centro comercial?
Seu Juarez confessa: “Converso com todos que me procuram, tenho certeza, se em algum momento ali tiver um empreendimento, nossa cidade receberá de braços abertos.”

Vida longa ao meu amigo Juarez Lezama!

E por falar em prédios icônicos, lembro do Cinema Colombo que não existe mais. Ali, na rua dos Andradas, existem hoje, apenas ruínas e parte de sua fachada com estacas que escoram nossa história.

Soube, e compartilho aqui com vocês. Segundo informações, existe a possibilidade dos proprietários, com santanenses ligados ao setor da construção, desenvolverem um projeto para aquele local.

O plano é ter um espaço temático que lembre o cinema: com galeria, café e dois prédios de moradia. O projeto deve ser inovador e preservar parte da história do local. Penso que, com esta obra, avançamos no sentido de emprego e desenvolvimento, impulsionando a sexta quadra da Ruas dos Andradas e ainda a rua Conde Porto Alegre, pois a área atinge esses dois logradouros. O projeto é bom e inovador, mas deve vencer alguns entraves do Plano Diretor do município, vamos acompanhar e torcer para que não demore, e enfim possamos ter um destino para essa área.

Até a próxima conversa!