dom, 21 de abril de 2024

Variedade Aplateia | 20 e 21.04.24

O câncer do intestino tem cura e o caminho passa pelo diagnóstico precoce

Dr. Dionatha Liska, Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva – CRM 37146/RQE 32089, fala sobre o assunto

Você sabia que o terceiro mês do ano é dedicado à conscientização e luta contra o câncer de intestino? A campanha Março Azul tem o objetivo de levar informações confiáveis à população, em busca de salvar vidas e alertar a respeito do diagnóstico precoce.

O câncer de intestino é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens e mulheres, atingindo cerca de 45 mil pessoas ao ano no nosso país. No Brasil, ele é o terceiro tipo de tumor que mais mata, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Mas, a boa notícia é que existe prevenção. Se você tem 45 anos ou mais, história na família ou algum sintoma relacionado ao intestino, procure atendimento com seu médico e faça seus exames.

O Dr. Dionatha Liska, Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva – CRM 37146/RQE 32089, orienta sobre os fatores de risco, sinais de alerta e prevenção, confira abaixo:

Fatores de risco:

  • Histórico pessoal ou familiar de pólipos adenomatosos ou câncer de intestino;
  • Histórico pessoal de doença inflamatória intestinal e Diabetes 2;
  • Idade superior a 45 anos;
  • Os evitáveis são: obesidade, sedentarismo, tabagismo, alcoolismo e dieta.

Sinais de alerta:

  • Sangue nas fezes;
  • Dor e cólica abdominal frequente por mais de 30 dias;
  • Alternância entre constipação e diarréia;
  • Emagrecimento rápido sem causa conhecida;
  • Anemia, cansaço e fraqueza.

Prevenção:

A melhor forma de prevenção é o rastreamento feito pela colonoscopia. Este exame permite identificar lesões que antecedem ao câncer e deve ser feito em pessoas com 45 anos ou mais. Caso tenha histórico familiar, é preciso antecipar o exame.

Mantenha uma rotina de atividades físicas e alimentação balanceada. Evite álcool e cigarro e mantenha suas consultas e exames médicos em dia. O câncer de intestino tem cura e o caminho passa pelo diagnóstico precoce. Cuide-se.

Fonte: Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, Sociedade Brasileira de Coloproctologia e Federação Brasileira de Gastroenterologia.

Até quando mulheres serão mortas por serem mulheres?

Revoltante. Esta é uma das palavras que pode ser utilizada para adjetivar os casos de feminicídios que estão acontecendo na Fronteira “da Paz”. Onde está a sociedade quando um crime desses acontece? Sim, sociedade. Apesar dos territórios, sejam eles brasileiro ou uruguaio, terem por dever garantir a segurança dos seus cidadãos, todos que fazem parte da comunidade têm uma parcela