dom, 3 de março de 2024

Aplateia Digital | 02 e 03.03.24

Última Edição

OBRAS, SUAS LINDAS!

Buenas!

Quem nunca sofreu com obras em casa, que jogue a primeira pedra! E como se sofre… Obras são o chamado mal necessário, ficará tudo melhor depois, dizem eles. E se as obras são em casa, no trabalho e no trajeto para o trabalho? Diria que é perseguição ou, quem sabe, um complô dos pedreiros visando abalar as estruturas, as minhas, no caso, não dos prédios em si…

Quando abrem um buraco na rua, para trocar um simples encanamento, garantem que  chove, atrasa um pouco, né? Mas o que acontece quando começam a mexer em tempos de seca? Também atrasa, acontece? E o trânsito, que já é um caos normalmente, só piora…

Em obra pública tem licitação, seleção de empresas, dezenas de funcionários e os servidores do local não tem para onde ir, continuam lá. Tudo resolvido, serviço qualificado, bonito, bem pago. Choveu, voltam todas as goteiras.

– Mas tu disse que ia resolver!

– Fizemos de tudo, doutor, era para não ter goteira. Mas a gente resolve, não te preocupa.

Choveu outra vez, o que no RS acontece dia sim e dia também, novas goteiras. Não importa se você contratou uma uma mega empresa, com engenheiros e profissionais gabaritados!

O orçamento é outro problema. se começar com X, certamente vai a X³, se tiver sorte! E quando a obra é em casa e tu não tem para onde correr?

– Fica tranquilo, a gente resolve isso, é só um vazamentinho.

– Mas é fácil? Resolve hoje ainda, Jorge?

– Não te preocupa. Só precisa fechar o registro, abrir um buraco pequeno, daí a gente já resolve.

– Hoje ainda, Jorge?

– Não, mas amanhã tá pronto!

– Jorge, faz dois dias que tu tá mexendo aí!

– Sim, precisou mexer um pouco mais, mas não te preocupa, tá quase.

– Mas precisava quebrar toda a parede, Jorge?

– É que este cano tinha um cano que leva a outro cano, o senhor já viu, né. Mas falta um pouquinho só, relaxa, amanhã tá pronto.

– Não tá pronto ainda? Já faz uma semana que tá mexendo e quebrando parede, Jorge!

– Fica tranquilo, doutor, tá quase.

– Mas tu já arrancou até parte do piso, Jorge! E já passaram duas semanas!

– Sim, acontece, era grave! Um cano leva a outro cano, sabe como é, né? Mas eu resolvo. Amanhã deve tá pronto.

– Jorge, faz um mês que tu quebra parede, abre buracono chão e não termina!

– Acontece, doutor! Mas tá tudo dominado.

– Mas tu já arrancou piso, já mexeu no apartamento do vizinho de baixo e no vizinho de cima!

– Pois é, doutor, muitos canos, um cano leva a outro, e fica complicado, mas já, já a gente resolve.

– Mas eu estou sem cozinha e sem poder lavar roupas há mais de mês!

– Não te preocupa, falta bem pouco agora, a gente achou o vazamento!

– O vazamento no térreo tá afetando o meu apartamento que fica no décimo andar, Jorge?

– Sabe como é doutor, um cano leva a outro cano…

– Jorge, quero só a obra pronta, não aguento mais! Minha mulher me largou, meus filhos foram morar na vó, meus vizinhos não falam comigo, perdi todos os poucos cabelos que tinha, tô quase perdendo o emprego.

– Agora falta pouco, doutor. Já sabemos onde é o vazamento, tudo tá resolvido mais tardar amanhã.

– Mas Jorge, tu tá dizendo que termina há quase meio ano!

– Sabe como é, doutor. Um cano leva a outro cano…