ter, 18 de junho de 2024

Variedades Digital | 15 e 16.06.24

Projeto Produto Legal leva agroindústrias santanenses para os supermercados locais

O objetivo é que estabelecimentos comerciais disponibilizem um espaço para os produtos produzidos em Sant’Ana do Livramento
Foto: Debora Castro/AP

A iniciativa, capitaneada pelo Rotary Clube Integração, propõe ao comércio local a divulgação do selo “Produto Legal”. Ao todo, 72 agroindústrias produzem os mais variados produtos, como queijos, linguiças, mel, iogurtes, etc. São parceiros do Projeto, o Banco Sicredi, Sebrae e Secretaria Municipal de Agricultura.

De acordo com Simone Loss, integrante do Rotary Clube, a ideia do projeto é que cada empresário organize na sua empresa um espaço dedicado aos produtos produzidos em Livramento, identificando-os com o banner “Produto Legal”, destacando para que os consumidores saibam quais são esses produtos.

“Temos mais de 72 indústrias familiares, agroindústrias, todas devidamente legalizadas e fiscalizadas pela Secretaria Municipal de Agricultura (SMA) e isso não era divulgado, e essas agroindústrias se perdiam. Então começamos a implementar o projeto, levando até os supermercados o” Produto Legal”, ali os santanenses vão saber que aquele produto é de Sant’Ana, produzido aqui”, explicou Simone, enfatizando que as indústrias legalizadas receberão um banner e um selo do projeto.

Para o diretor do supermercado Righi, Antônio Righi, é de extrema importância receber e oferecer esses produtos aos seus clientes. Por se tratarem de produtos locais, as vendas trazem um fortalecimento para a economia local. “Nós temos que trabalhar junto aos produtores rurais para que eles também passem a produzir. Já estamos na época dos cítricos e está vindo tudo de fora, não tivemos opção de compra aqui na cidade. Mas entre os produtos da agroindústria, nós temos que fortalecer essa parceria e divulgar que os santanenses saibam que o produto exposto é um produto de Sant’Ana”, destacou Antônio Righi.

Para a secretária adjunta da Secretaria Municipal de Agricultura, Kelly Prado Lima, a expectativa é de que a parceria dê certo para divulgar essas 72 agroindústrias, com produtos de qualidade e fiscalizados. “O papel da SMA não é somente de fiscalização, mas temos a preocupação de que aquele produto que está sendo fiscalizado tenha um destino para que o cidadão santanense reconheça e veja nas prateleiras dos parceiros. A agroindústria melhora e prolonga o tempo de vida dos produtos in natura”, frisou Kelly, mencionando que o Serviço de Inspeção Municipal (SIM) está à disposição para ajudar as agroindústrias, esclarecendo todas as dúvidas.  

A consultora do Sebrae, Valéria Braz, esclarece que desde o plano de negócios de empresa até capacitações mais avançadas para as empresas crescerem com todo auxilio necessário. “A ideia é atendermos as agroindústrias locais com uma série de capacitação que podemos estar realizando com esses grupos, para que eles se desenvolvam e mesmo aquelas que ainda não estejam legalizadas podem nos procurar”, salientou Valeria.

O gerente do banco Sicredi, Eduardo Franco, ressaltou que um dos papéis do banco no município é fortalecer e incentivar a economia local.

“Faz parte da nossa essência, do nosso propósito, incentivar a economia local. Fazer com que o dinheiro circule e permaneça aqui em Livramento. Ficamos felizes também em poder patrocinar e participar da elaboração do projeto “Produto Legal”, podendo incentivar as agroindústrias locais”, destacou.

Para saber mais sobre os produtos, basta procurar o selo verde “Produto Legal” nos produtos.

 

Debora Castro

debora@jornalaplateia.com

CMPC confirma investimento no RS, mesmo após enchentes

A multinacional chilena CMPC confirmou que o investimento no Estado, anunciado durante a assinatura do protocolo de intenções com o governo estadual no final de abril, terá seguimento, mesmo após os eventos climáticos que atingiram o RS. A confirmação dos R$25 bilhões, que terão como destinação a instalação de uma nova planta industrial de produção de celulose em Barra do