sex, 12 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 06 e 07.07.24
Aplateia Digital | 06 e 07.07.24

Última Edição

A minha Sant’Ana

Cruzamento das ruas Manduca Rodrigues e Hugolino Andrade, no centro da cidade - Foto: Matias Moura/AP

Reclamar é fácil, achar defeito no trabalho nos outros mais fácil ainda, mas algumas coisas, por mais desagradáveis que sejam, ter que insistir bater sempre na mesma tecla, acaba virando rotina. Aliás, de tanto se falar no mesmo assunto, banaliza de tal forma que ninguém mais presta a atenção. A que me refiro? A minha Santana e sua sujeira perene. Desculpe, Prefeita, sei o quanto a senhora trabalha e luta para melhorar nossa cidade, sei também que muitas coisas já foram modificadas para melhor, mas é aquela coisa: o que está bom e feito ninguém nota, o que está mal feito (ou não feito) ou continua estando por fazer sobressai mais. Quem sabe a senhora não esteja mal assessorada? Quem sabe as pessoas erradas não estejam no posto errado? Quem sabe o interesse, a motivação deles não seja a mesma sua? Evidentemente que a senhora não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo e é por isso que se cerca de pessoas que deveriam fazer a sua parte e não fazer das desculpas sua razão de ser. Não sei. Só sei que entra governo, sai governo e nossa cidade fica sempre do mesmo jeito. E o sonho de transformar nossa fronteira em uma referência turística, (nem me atrevo a comparar com Gramado) fica cada vez mais longe. Triste ter que dizer isso, muito triste.

30 ANOS NÃO SÃO 30 DIAS…

Buenas! Há encruzilhadas na vida que nos obrigam a tomar decisões que, 30 anos depois, nos fazem refletir se fizemos ou não a escolha correta. Quantas vezes paramos para avaliar nossas decisões? O que teria acontecido se tivesse tomado outro caminho? Valeu a caminhada? No meu caso, completei 30 anos como funcionário público na última semana. 3o anos não são