qua, 17 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Santa Casa recebe novo lote de sedativos do Ministério da Saúde

As dificuldades representadas pela falta de recursos, tanto financeiros quanto operacionais, na grande maioria dos estabelecimentos de saúde em todo o Brasil tornam cada vez mais difícil o enfrentamento que a sociedade brasileira trava contra a pandemia da Covid-19. Em Livramento, o Complexo Hospitalar Santa Casa de Misericórdia preciso, esta semana, pedir ajuda inclusive para uma empresa privada de saúde do Uruguai, a Comeri, que cedeu medicamentos imprescindíveis para o processo de intubação de pacientes graves de Covid-19.

A atitude da clínica riverense desafogou o iminente risco de colapso no atendimento no hospital de Livramento, mas o grande número de contaminados exige a renovação e disposição permanente desses medicamentos, especialmente sedativos. Felizmente, nesta sexta-feira, o hospital recebeu do Ministério da Saúde do Brasil um novo lote com 540 ampolas de Sulfato de Morfina. “Nos traz uma tranquilidade maior por, pelo menos, uma semana”, respira aliviada a diretora Leda Marisa dos Santos.

Para ela, porém, o mais importante significa que o complexo hospitalar Santa Casa de Misericórdia está tendo visibilidade no circuito dos estabelecimentos de saúde do Brasil. “Isso demonstra que não estamos esquecidos pelos órgãos da gestão central, especialmente o Ministério da Saúde, que demonstra sensibilidade em relação à situação muito difícil que enfrentamos aqui, e que sabemos não ser diferente do problema enfrentado por todos os estabelecimentos de saúde pública do nosso País”, analisa ela.

 

Texto: Edis Elgarte

Executivo pode estar querendo induzir Legislativo a irregularidade, adverte Lorenzoni

Depois de conhecer a estimativa do governo para o custo do pacote que prevê a reforma nas carreiras do funcionalismo, o deputado Rodrigo Lorenzoni foi à tribuna da Assembleia Legislativa RS, para manifestar suas principais preocupações. A bancada do PL, segundo o líder Rodrigo, “respeita, reconhece a importância do trabalho do servidor público e, da mesma forma, reconhece a legitimidade