seg, 15 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Paulinho, o herói santanense

Superando desafios, jovem conquistou a comunidade de Livramento protegendo-a

Ele já foi tema de reportagem, já inspirou músicas na cidade, está sempre por perto e aparece quando menos se espera, claro que estamos falando do ‘Paulinho’, o ‘soldado universal’ como diria a letra de música do Grupo Arrastapé.
Paulo Cezar da Silva Severo, 36 anos, é conhecido em toda a cidade pelo seu amor pela farda, mas não propriamente pela farda oficial da Brigada Militar, já que ele não é de fato policial, mas sim, pela construção de amor e carinho e parceria que existe há mais de 20 anos com o 2°RPMon – O Heróico. Isso quem conta é a sua tia Maria Cleci Correa Alves que o tem como filho desde os 4 anos de idade após o falecimento da mãe biológica. Paulinho mora na Tabatinga com a família de Maria Cleci e o tio Gilberto Alves.
Paulinho foi diagnosticado ainda quando criança com um mínimo retardo mental e tinha muitas dificuldades de convívio, desaparecia de casa e sempre que Dona Cleci o procurava, ele estava ou jogando futebol ou em algum Posto da Brigada Militar, dormindo ou passando o tempo na companhia dos policiais. Foi com a Brigada Militar de Santana do Livramento que Paulinho finalmente se reencontrou.
O ‘soldado universal’ usa uma farda improvisada, de cor preta, coturnos, colete, protetores, uma boina preta e seu tradicional apito. Com o tempo Paulinho ganhou o respeito da comunidade e já é visto como de fato “um policial nas ruas”. Paulo Cezar passa o dia no centro da cidade, conforme diz a tia, e “passa muito bem”, isto porque empresários e restaurantes do centro garantem o almoço diário e lanches para o jovem. A tia ainda diz que sempre que ele ganha algum dinheiro, ele compra tomates e alface e leva para casa. “Ele adora uma salada verde fico muito feliz porque ele nunca foi viciado em nada, não compra nenhuma porcaria”. Cleci diz que quando ele era adolescente muitos ‘colegas’ ofereciam cigarro e bebida para ele, mas agradece porque “Deus o protegia e hoje ele se tornou um filho exemplar”. “Só me dá trabalho quando chega tarde demais – ele leva à sério o trabalho”, disse.

Na hora e lugar certo 

A atuação de Paulinho foi fundamental no início desta semana no episódio das árvores que caíram no Parque Internacional após ventos de 96km/h. A sua atitude chamou mais uma vez a atenção da reportagem do Grupo A Plateia. Ocorre que um carro de placa uruguaia foi atingindo em cheio com a árvore de mais de 20 metros e foi graças ao Paulinho e ao empresário Vini que o casal que estava no interior do carro foram salvos. Paulinho ainda ficou cerca de 20 minutos sob forte chuva fazendo a orientação do trânsito no local após o acidente, isto porque um fio energizado também se depreendeu com o impacto. Foi graças à atuação do Paulinho que o acidente não teve proporções maiores. Paulinho monitorou o trânsito e fez a sinalização com o seu apito até a chegada dos Bombeiros e dos Agentes da Secretaria de Trânsito.
A mãe de Paulinho soube do fato e fica feliz que o filho, mesmo com suas limitações, esteja sendo “usado por Deus para fazer o bem”. Claci ainda fez questão de agradecer a todos os homens e mulheres que fazem parte da Brigada Militar de Livramento pela atenção que dão ao Paulinho, em especial ao Tenente Ruisdias e ao atual Comandante da Brigada, Cel. Otero, e aos inúmeros amigos que ele tem dentro da Brigada Militar.

Terra sem-lei

Certamente você já ouviu falar na expressão “terra sem-lei”. A expressão refere-se a um lugar onde todos fazem o querem, sem pensar nas consequências, o que não é o caso do Brasil. O exemplo claro disso é a decisão, desta semana, do juiz Everton Padilha Soares, do Juizado Especial Cível da Comarca de Sant’Ana do Livramento. O magistrado condenou o

Agilidade para liberar renegociação

Só depende de votação do Senado Federal a criação de um REFIS para os débitos contraídos pelos partidos políticos brasileiros em razão de descumprimento de obrigações referentes a prestações de contas, cumprimento de prazos ou ainda por eventual uso indevido de recursos de fundos partidário ou eleitoral. A Câmara dos Deputados já aprovou a PEC que propõe o refinanciamento de