seg, 15 de julho de 2024

LOGO GRUPO A PLATEIA capa branco
Variedades Digital | 13 e 14.07.24
Aplateia Digital | 13 e 14.07.24

Última Edição

Operação Rodovida da PRF pretende diminuir mortes no transito

A Operação Rodovida vai ocorrer em dois períodos nos quais costuma haver aumento do fluxo de veículos e passageiros nas rodovias federais: férias escolares, Natal, Ano Novo e Carnaval – Foto: Matias Moura

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou, na sexta-feira (14), a Operação Integrada Rodovida 2018/2019, uma força-tarefa do governo federal comandada pela PRF com participação da Presidência da República, da Casa Civil e dos ministérios das Cidades, da Saúde e dos Transportes.

A Operação Rodovida vai ocorrer em dois períodos nos quais costuma haver aumento do fluxo de veículos e passageiros nas rodovias federais. O primeiro compreende as férias escolares, Natal e Ano Novo. As ações tiveram inicio na sexta-feira (14) e vão até 31 de janeiro. O segundo período é o do Carnaval. A atuação da PRF será intensificada entre 22 de fevereiro e 9 de março de 2019.

Consciência e fiscalização

A Operação Rodovida consiste, de forma resumida, em períodos de fiscalização intensificada, com o intuito de coibir práticas perigosas nas rodovias. Isso vale, de modo especial, para ultrapassagens irregulares, excesso de velocidade, consumo de álcool, atropelamento de pedestres e trânsito irregular de motocicletas. Paralelamente, o Ministério da Justiça e os outros órgãos participantes promoverão campanhas publicitárias de conscientização em todo o Brasil.

“A Polícia Rodoviária Federal está engajada também no Programa da Organização das Nações Unidas (ONU), Década Mundial de Segurança no Trânsito 2011-2020, cuja meta prioritária é reduzir em 50% o número de mortos e de feridos em decorrência de acidentes de trânsito, recepcionado pelo governo brasileiro em maio de 2011, por intermédio do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes no Trânsito (Pacto pela Vida)”, informou, em nota, a PRF.

Postado por Matias Moura

Terra sem-lei

Certamente você já ouviu falar na expressão “terra sem-lei”. A expressão refere-se a um lugar onde todos fazem o querem, sem pensar nas consequências, o que não é o caso do Brasil. O exemplo claro disso é a decisão, desta semana, do juiz Everton Padilha Soares, do Juizado Especial Cível da Comarca de Sant’Ana do Livramento. O magistrado condenou o

Agilidade para liberar renegociação

Só depende de votação do Senado Federal a criação de um REFIS para os débitos contraídos pelos partidos políticos brasileiros em razão de descumprimento de obrigações referentes a prestações de contas, cumprimento de prazos ou ainda por eventual uso indevido de recursos de fundos partidário ou eleitoral. A Câmara dos Deputados já aprovou a PEC que propõe o refinanciamento de