dom, 21 de abril de 2024

Variedade Aplateia | 20 e 21.04.24

Carga de lixo em caminhão pega fogo após explosão por suposta combustão

“Foi apenas um grande susto, mas poderia ter sido pior”. A frase dita por um dos trabalhadores da empresa Ansus, responsável pela coleta de lixo em Sant´Ana do Livramento, foi dita depois enquanto a equipe se recuperava de um sufoco passado minutos antes quando se dirigia ao local destinado ao descarregamento da carga de aproximadamente cinco tonelada coletada na cidade durante a tarde deste sábado. Uma explosão no compartimento reservado a carga de lixo por pouco não provocou um  grande incêndio no   caminhão que poderia ter resultado com trabalhadores feridos. “Ouvimos uma explosão e  verificamos que havia muita fumaça na carga. Só tivemos  tempo de estacionar o caminhão em uma estrada paralela à  BR 158 a poucos metros do acesso ao Carajás e descarregar toda a carga de lixo. Ainda com as chamas vivas outras explosões seguiram ocorrendo, provavelmente,  em razão de algum conteúdo inflamável ou a mistura de ingredientes que tenham entrado em combustão”, relataram os trabalhadores. Sem ferimentos, apenas apreensivos, a equipe salientou ainda que não houve avaria no caminhão que rapidamente foi descarregado. Uma guarnição do corpo de bombeiros foi deslocada até o local e conteve as chamas enquanto a BR 158 permaneceu parcialmente interrompida no sentido Sant´Ana do Livramento/Rosário do Sul. Segundo o Corpo de Bombeiros, as explosões podem sim ter sido provocadas pela fermentação de ingredientes de fácil combustão. O responsável pela empresa compareceu no local e salientou que a carga seria completamente recolhida e encaminhada ao seu destino final em outro veículo a fim de desobstruir a estrada paralela à BR 158.

Até quando mulheres serão mortas por serem mulheres?

Revoltante. Esta é uma das palavras que pode ser utilizada para adjetivar os casos de feminicídios que estão acontecendo na Fronteira “da Paz”. Onde está a sociedade quando um crime desses acontece? Sim, sociedade. Apesar dos territórios, sejam eles brasileiro ou uruguaio, terem por dever garantir a segurança dos seus cidadãos, todos que fazem parte da comunidade têm uma parcela