ter, 21 de maio de 2024

Variedades Digital | 18 e 19.05.24

II Conferência Regional de Valorização da Mulher Advogada da OAB/RS Região da Fronteira

Beatriz Peruffo - Presidente estadual da comissão(Foto: Matias Moura/AP)

Evento aconteceu na sede da subseção de Santana do Livramento

Na tarde de sexta-feira (27), aconteceu a II Conferência Regional de Valorização da Mulher Advogada da OAB/RS Região da Fronteira II- Subseção de Santana do Livramento. O evento aconteceu na sede da subseção, localizada na Rua General Câmara n° 1574.
A comissão especial da mulher advogada da CMA da Seccional da OAB/RS com apoio da Subseção da OAB de Santana do Livramento fez o convite às colegas advogadas, professoras, estudantes de Direito, estagiárias, juízas, promotoras e demais profissionais mulheres da área jurídica para participar.
Na oportunidade, esteve presente a Presidente da Comissão Estadual da Mulher Advogada, Beatriz Peruffo, onde discutiu sobre os temas: Campanha de Prevenção e Combate à violência contra mulher, mulher de ordem, apresentação de demandas e sugestões das advogadas, fortalecimento da mulher advogada palestrante e mulheres advogadas em defesa da paz nos estádios.
De acordo com a Presidente da Comissão da Mulher Advogada de Santana do Livramento, Carolina Normey, a comissão vai além da mulher advogada, uma oportunidade para as mulheres de ordem contribuírem para o despertar das demais mulheres da sociedade que por um motivo ou outro ainda não perceberam sua verdadeira força. A Constituição de 1988, sem dúvida, foi um avanço para a concepção da igualdade entre os gêneros em todos os segmentos, mas também um marco na proteção dos direitos das mulheres.
“Mas ainda tem sido uma luta árdua. A desigualdade existe desde os primórdios e perpassa por um paradigma que legitimava declaradamente a organização familiar como sendo meramente patriarcal, dando sempre preferência e visibilidade ao homem, seja para tomar frente aos negócios da família, como para cuidar dessa em todos os âmbitos. Já avançamos muito nessa luta pela igualdade, porém não se pode parar, pois ainda se tem muito pela frente, principalmente quando falamos de violência contra a mulher, não só a física, mas a mais perigosa e silenciosa que é a violência psicológica”, destaca Carolina.
Vale lembrar que a violência contra a mulher não escolhe classe social, porém quando a mulher se empodera, trabalha, sabe do seu valor, dificilmente aceita essa violência, ou pelo menos a reconhece e tenta sair da situação.
“Entendo que nós mulheres de Ordem temos o dever de ajudar as de classe social mais baixa, com menos instrução. E é esse o objetivo desse evento, discutir a realidade de Santana do Livramento, buscando despertar em nós mulheres o entendimento de que podemos o que quisermos, sozinhas ou bem acompanhadas, nunca na obrigação de estar com alguém ou em alguma situação”, finaliza a advogada, militante, Carolina.

Beatriz Peruffo – Presidente estadual da comissão(Foto: Matias Moura/AP)

Por: Lauren Tindade – laurentrindade@jornalaplateia.com