PUBLICIDADE faculdade Fael

Comércio

Mesmo com calor intenso a venda de ar-condicionado no comércio não aumentou

Ventiladores continuam sendo uma das procuras da lista no verão

Com o calor intenso e os termômetros ultrapassando a casa dos 34ºC, a procura por ventiladores tem movimentado o comércio de Sant’Ana do Livramento. Porém, os aparelhos de ar-condicionado não são muito vendidos, porque a cidade vizinha oferece valores inferiores ao lado brasileiro, é o que dizem os lojistas.

 

Muitos disseram estar preparados para atender à demanda de ventiladores. Já outros, disseram que, em função da baixa procura por ar-condicionado durante o início do ano e da crise econômica, não reforçaram os estoques dos aparelhos, responsáveis por diminuir a sensação de calor.

 

Alguns compradores de ventiladores efetuam a compra por meio de cartão de crédito, com pagamento parcelado. Outros preferem comprar no débito e em dinheiro, à vista, para se livrar das prestações. Os valores variam entre R$ 74,00 e R$ 600,00.

 

De acordo com o gerente da loja Magazine Luiza, Luiz Alexandro Santos, a procura por ar-condicionado foi bem tímida até agora. “Até a gente tinha um expectativa maior, mas foi bem baixa a venda. Talvez pela questão do Uruguai ter um valor bem menor nessa linha de ar condicionado, as pessoas acabam aderindo a compra lá”, comenta.

 

Para driblar a falta de venda no verão a loja conta com promoções que antecedem o período de carnaval e no próximo dia 24 terá a festa do cartão, que dará a possibilidade dos clientes comprarem em 24 vezes sem juros.

 

Segundo Daiane Vargas, assistente administrativo da loja Colombo, neste período teve uma boa venda de ventiladores, mas ar-condicionado não. “Como alternativa de venda temos variedades de modelos em ventiladores”, ressalta.

 

Sibele Padilha, coordenadora de vendas da loja Deltasul diz que ar-condicionado não tem muita procura, já os ventiladores não saem das principais procuras pelos clientes. “Nossas formas de facilitar o pagamento é fazendo promoções no cartão sem juros, no crediário em até 24 vezes e o primeiro pagamento para 90 dias”, destaca.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: Lauren Trindade/AP - 07/02/2018 às 0:00

 

Deixe seu comentário