PUBLICIDADE faculdade Fael

Bastidores

Qualidade tipo exportação

Que o fértil solo fronteiriço historicamente produziu gente de grande capacidade produtiva, seja na área que for, não é novidade. Por razões estruturais ou, infelizmente, por falta de apoio para o desenvolvimento desse grande potencial, quem acaba ganhando com eles são outra praças, que logram identificá-lo e, claro, atraí-los. São muitos casos assim, ao longo dos anos. Potencialidades – e riquezas – que se vão. Prejuízo local.

Reajuste da energia em debate

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs um reajuste médio de 25,34% nas tarifas da RGE Sul. Para consumidores conectados em alta tensão, o aumento seria de 28,25%, e para a baixa tensão, de 23,73%. A proposta de reajuste diz respeito ao quarto ciclo de revisão tarifária da companhia, processo que é feito de quatro em quatro anos com o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro da concessão

A voz do povo

Os consumidores poderão opinar a respeito. O processo foi aberto em audiência pública na última quarta-feira e vai até 10 de março, com sessão presencial marcada para o dia 8 de março, em São Leopoldo. Se aprovadas, as novas tarifas valem a partir de 19 de abril. A empresa atende a 1,3 milhão de unidades consumidoras em Livramento e outros 117 municípios do Rio Grande do Sul.

Fronteira hollywoodiana

Uma ideia do ex-vereador e ex-candidato a prefeito Claudio Coronel vem repercutindo e ganhando apoios nas redes sociais. Ele sugere a instalação do nome de Sant’Ana do Livramento em grandes módulos de letras, semelhante ao modelo célebre no Mount Lee, em Los Angeles, como forma de saudação para todos que cheguem à cidade. O letreiro americano foi criado nos anos 1920 pela Câmara do Comércio como propaganda de um condomínio e acabou se tornando um símbolo da cidade. Claudio Coronel defende a realização de uma campanha entre empresários e comunidade para viabilizar a identificação na entrada de Livramento. “O nosso Cerro de Palomas é mais bonito que o Cerro de Hollywwod”, brinca. Mas lembra, corretamente, que Gramado desenvolveu seu turismo “pensando grande”, o que gerou empregos, desenvolvimento social e bem estar para toda a comunidade.

Por: ediselgarte@jornalaplateia.com WhatsApp (55) 84296522 - 27/01/2018 às 0:00

 

Deixe seu comentário