PUBLICIDADE faculdade Fael

Especial Califórnia da Canção

Uruguaiana sedia, neste final de semana, edição histórica da Califórnia

O festival que chega a sua 40ª edição é considerado o maior evento da música nativista do país. Mais uma vez, Livramento estará representada no festival

Acontece neste fim de semana, a 40ª Califórnia da Canção Nativa de 8 a 10 de dezembro, na cidade de Uruguaiana, evento que promete ter uma edição histórica por toda a sua importância para o estado do Rio Grande do Sul.
Ao longo de sua história vários santanenses já participaram do festival e deixaram seus nomes registrados em sua edição, como já vimos em matérias anteriores. Nesta 40º edição não é diferente, as músicas; “Meu Lobuno é de Papel” de autoria de Volmir Coelho com sua interpretação; “As Três Marias de Maria”, de Sérgio Carvalho Pereira e Juliano Gomes; “Folcloreando”, música de Erlon Péricles que será interpretada por Juliano Moreno; “De Cumpadre”, letra de Paulo Ozório Lemes e Fabrício Ocaña ; “Linguagem”, de Anomar Danúbio Vieira e Luciano Maia; “Sobra de Baile”, de Anomar Danúbio Vieira e Juliano Gomes, são as composições que representam Santana do Livramento no festival.

Neste ano, alguns músicos estarão estreando sua participação no festival, entre eles o cantor e compositor Volmir Coelho que sobe ao palco com música de sua autoria. Em entrevista ao Jornal A Plateia o músico contou que o sentimento ao passar uma composição num evento tão importante como esse é motivo de orgulho. A milonga que irá ao palco fala da parceria do homem e cavalo que se igualam na lida de campo.
Segundo o autor, a música surgiu através de uma história contada por um amigo seu, sobre um cavalo que não tinha registro e se destacava dentre os demais.

De cumpadre

Fabrício Ocaña, um dos autores da composição De Cumpadre,  parceria com Paulo Osório Lemes afirma que este é um momento muito especial para a sua carreira pois é a primeira vez que ele classifica uma composição onde é um dos autores. “Para mim é uma grande honra estar participando de um festival como a Califórnia com uma música de minha autoria, onde na 36ª edição tive a felicidade de vencer a linha campeira junto com o Ricardo Martins, com a música de De Tempo e Comparsa. Neste ano, eu não vou estar no festival, porque atualmente estou morando no Mato Grosso do Sul mas por aqui nós vamos ficar com o ouvido colado no rádio para acompanhar o festival” encerrou. 

Folcloreando

Intérprete participante ativo dos festivais nativistas, Juliano Moreno é outro músico de Livramento que irá cantar pela primeira vez na Califórnia da Canção Nativa a convite do compositor Érlon Péricles. A música que subirá ao palco defendida pelo santanense, trará um resgate da músicas mais antigas, principalmente aquelas que ficaram imortalizadas no Festival, como por exemplo Esquilador. “Pra mim é uma grande honra interpretar uma música na Califórnia, que é o nosso maior festival.Participei de uma classificatória há 13 anos , mas esta será a primeira vez como competidor” destacou o músico.

História

O festival que nasceu em 1971 foi idealizado pelo poeta e compositor Colmar Duarte e deu início ao movimento musical chamado de “Ciclo dos Festivais” que permanece vivo até os dias de hoje. Em seus 40 anos de história a Califórnia foi responsável pelo surgimento de vários músicos, poetas e compositores que começaram a compor músicas retratando o gaúcho e o homem simples do campo, além de tema sociais que afligiam a sociedade da época. Foi no seu palco que artistas como César Passarinho, João de Almeida Neto, Elton Saldanha, Marco Aurélio Vasconcellos, José Cláudio Machado, Telmo de Lima Freitas, Luiz Carlos Borges, Leopoldo Rassier entre outros começaram a suas carreiras musicais.    

Por: Matias Moura matiasmoura@jornalaplateia.com - 09/12/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário