PUBLICIDADE

Rural

Leite em pó importado do Uruguai sob suspeita

Ministério da Agricultura do Brasil vai suspender importação do produto uruguaio.

Depois de meses de pressão dos produtores de leite brasileiros em relação ao volume e ao preço do leite em pó e seus derivados, importados do Uruguai, o Ministério da Agricultura decidiu suspender, momentaneamente, a importação do país vizinho. A medida atende pleito da Secretaria da Agricultura e entidades do setor, que solicitaram investigações sobre triangulação.

Pedido de investigação

O pedido de investigação sobre o ingresso de leite do Uruguai, no Rio Grande do Sul, foi reiterado nessa terça-feira (10), durante visita do secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, a Brasília. Por meio de um documento co-assinado pela Farsul e Fetag, que solicita ao Ministério investigação para verificar uma possível triangulação na importação de leite e derivados do Uruguai, pois o volume exportado para o Brasil, somado ao consumo interno, supera em mais de 50 milhões de litros a produção total do país vizinho.
“Conseguimos com que o Governo Federal se mostrasse sensível a este problema e verifique se está ocorrendo algo de errado, pois a situação dos produtores de leite do Estado já é bastante difícil”, comentou o secretário Ernani Polo. O mesmo pedido foi protocolado junto ao secretário de Comércio Exterior Substituto, Renato Agostinho da Silva, que encaminhará o assunto internamente no Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). A comitiva gaúcha ainda teve uma audiência com o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, sobre aquisições de leite UHT e em pó pelo Governo Federal. O ministro afirmou que fará um estudo nos próximos dias sobre a disponibilidade de volume para compra, a fim de
conseguir recursos para a iniciativa.

Livramento produz cerca de 21 milhões de Litros de Leite por ano conforme dados da EMATER

Sant’Ana do Livramento possui, hoje, 500 produtores de leite que são responsáveis por uma grande produção leiteira que ultrapassa os 21 milhões de litro ano, segundo dados não oficiais do escritório local da EMATER.
A reportagem do Jornal A Plateia conversou com Liziane da Silva Schlick, zootecnista da EMATER e que faz parte do Núcleo Santanense de Produtores de Gado Leiteiro, para saber qual o impacto da suspensão da importação para o município que também é diretamente afetado pela concorrência com produto estrangeiro. Segundo ela, Livramento possui 5 empresas que trabalham fazendo o recolhimento do produto e distribuindo. “Temos, na verdade, três cooperativas e duas empresas atuando em nosso município. Já esta questão do leite importado do Uruguai prejudica muito os produtores. Há uns três meses, por exemplo, o preço do leite começou a cair, ele estava em torno de R$1,00 o litro. Os produtores não estavam esperando por isso. Porque em um mês, por exemplo, o produtor trabalhou visando este preço e, no mês seguinte, recebeu bem abaixo de um R$1,00 e isso gera um impacto muito grande”, disse.
A expectativa, agora, é que o preço se normalize para os produtores com a suspensão da importação do produto uruguaio. “O que se espera é que se normalize. Porque os preços dos insumos para produzir não acompanham o valor final pago ao produtor.
Então, com esta suspensão o que nós podemos esperar é um aumento nos preços” destacou.

Por: Matias Moura - matiasmoura@jornalaplateia.com - 12/10/2017 às 10:54

 

Deixe seu comentário